O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu uma liminar e suspendeu a nomeação do novo diretor-geral da Polícia Federal

Publicidade

Depois de tornar sem efeito a nomeação de Alexandre Ramagem para a Diretoria-Geral da Polícia Federal (PF), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), o desautorizou como uma “canetada” e disse que “não engoliu a decisão”.

Alexandre de Moraes concedeu uma liminar que suspendeu a indicação de Ramagem para a Polícia Federal, após a saída de Maurício Valeixo do cargo.


“Moraes tentou desautorizar um presidente da República com uma canetada alegando impessoalidade. Apelo para que respeitem a Constituição. Quase houve uma crise institucional ontem [quarta-feira]”, disse.

O presidente disse esperar também uma “canetada” para que Moraes tire Ramagem da direção da Agência Brasileira de Informação (Abin), como fez com a PF.

“Decisão, no meu entender, falta um complemento para mostrar que não é uma coisa voltada para continuar na Abin. Se não se posicionar, está abrindo espaço para eu nomear o Ramagem para a PF”, continuou.

Por fim, o presidente voltou a pedir respeito entre os Poderes: “Respeito de dupla via entre os Poderes”.

Com reportagem de Thaís Paranhos e Fernando Caixeta para Metrópoles