Calmaria é resultado do desligamento de maquinário industrial e interrupção no funcionamento de redes de transporte em todo o mundo


Publicidade

As quarentenas usadas como medida de combate à pandemia de Covid-19 estão causando um efeito inesperado: nosso planeta está se movendo menos. Segundo o sismólogo Thomas Lecocq, do Observatório Real Belga em Bruxelas, a calmaria é resultado do desligamento de maquinário industrial e interrupção no funcionamento de redes de transporte em todo o mundo.

Essa movimentação normalmente gera um “ruído” sísmico, como um “zumbido” que pode ser detectado pelos equipamentos dos cientistas. O fenômeno não é inédito, mas geralmente tem curta duração: é comum nos dias ao redor do Natal, por exemplo.


Outros cientistas identificaram um fenômeno similar em diversas partes do mundo. O inglês Stephen Hicks publicou em sua conta no Twitter um gráfico mostrando a queda no nível de ruído registrada por um sismógrafo próximo a Londres. A norte-americana Celeste Labedz compartilhou um gráfico similar, com dados de uma estação em Los Angeles.

The lockdown as seen by a seismometer. This week has seen a reduction in average daytime background seismic noise level (purple line). Data is from @BGSseismology station SWN1 located close to the M4 motorway, so this probably reflects less traffic out on the roads.
Ver imagem no Twitter

85 pessoas estão falando sobre isso

De acordo com Lecocq, a redução no ruído sísmico na Bélgica é de cerca de 30%. E teve um efeito coleteral inesperado: aumentou a sensibilidade dos sismógrafos usados pelos cientistas. Sem o ruído, um detector na superfície pode ser tão sensível a pequenos terremotos e explosões em pedreiras quando um sensor no fundo de um buraco de 100 metros de profundidade.

Com informações de Nature