Desde 31 de março que vários estados da Nigéria adotaram medidas de contenção, particularmente rigorosas em Lagos, Abuja e Ogun, onde foi decretado o confinamento obrigatório.


 Publicidade

As forças de segurança da Nigéria mataram 18 pessoas acusadas de não respeitarem as medidas de contenção definidas pelo Governo para conter a propagação da pandemia de covid-19 no país, segundo uma comissão nacional dos direitos humanos.

Num comunicado emitido na noite de quarta-feira pela comissão e hoje citado pela agência France-Presse (AFP), a organização registrou 105 atos de violação dos direitos humanos "perpetrados pelas forças de ordem", além de "18 pessoas mortas" em execuções extrajudiciais.

A comissão, principal órgão de observação dos direitos humanos no país, acusou as forças de segurança de "uso desproporcional de força, abuso de poder, corrupção e desrespeito pelas leis nacionais e internacionais".

Desde 31 de março que vários estados da Nigéria adotaram medidas de contenção, particularmente rigorosas em Lagos, Abuja e Ogun, onde foi decretado o confinamento obrigatório.



A Nigéria registra hoje 407 casos de infecção pelo novo coronavírus, que causou 12 mortes, havendo 128 casos de recuperação.

Nas redes sociais começaram a surgir vídeos de violência, retratando imagens da polícia destruindo bancas em mercados e espancando pessoas.

Citado pela AFP, o porta-voz da polícia, Frank Mba, lamentou que "a comissão continue a ser demasiado geral nas suas acusações" e que esta confunda as agências de segurança.

"A comissão deveria ter dado pormenores sobre os que foram mortos pela polícia, o seu número exato, os seus nomes e a localização dos incidentes, para que pudéssemos tomar as sanções adequadas", afirmou o porta-voz.

A escassa ajuda governamental não está permitindo o alívio da fome e da cólera na população, tendo havido um aumento acentuado da criminalidade no país nos últimos dias.

Na semana passada, o Banco Mundial alertou para o risco de uma "crise alimentar" na África.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 137 mil mortos e infectou mais de dois milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 450 mil doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

O número de mortes por covid-19 na África subiu hoje para 910 num universo de 17.212 infecções registradas em 52 países.

O número de doentes recuperados é agora de 3.546.

Com informações de NM