O paciente Édison Regio de Moraes Souza, de 65 anos, primeiro caso grave de coronavírus no Rio de Janeiro, foi curado e recebeu alta do Quinta D’Or neste sábado (18). O nefrologista e professor na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) havia sido internado no hospital no dia 13 de março, com febre, cansaço e falta de ar.

Publicidade

De acordo com o médico clínico e intensivista Emmanuel Salgueiro, que acompanhou toda a evolução da doença, Édison suspeitava estar com pneumonia e administrou antibióticos em casa. Como não teve melhora do quadro, o ex-vereador do Rio, conhecido como Dr. Edison da Creatinina, foi ao hospital, onde foram realizados exames laboriais e uma tomografia que confirmaram a contaminação por covid-19. Logo no dia seguinte, 14 de março, o médico precisou ser entubado. Os rins também pararam de funcionar, e a equipe iniciou o processo de hemodiálise.


— Eu já era médico pessoal do Édison desde 2013. Assim que me ligou, orientei que fosse ao hospital mais próximo de sua casa — conta — Não autorizei o uso de medicamentos experimentais porque ainda não existe tratamento específico para a doença. Em 15 dias, começamos a ver melhora, que só foi possível porque o paciente recebeu uma boa ventilação mecânica e todos os demais cuidados.

O diretor médico do hospital, Odilon de Carvalho, destacou a felicidade de ver o paciente se recuperar.

— Do mesmo jeito que ele está feliz por, finalmente, ter superado essa doença, toda a nossa equipe também está, pela sensação de ter ajudado um paciente que chegou em um estado bem grave. No meio dessa pandemia, boas notícias como essa nos motivam ainda mais a continuar o nosso trabalho — afirma Odilon.

Em um vídeo, funcionários do hospital aparecem aplaudindo o paciente no momento em que voltava pra casa.


As imagens mostram Édison sendo carregado em uma cadeira de rodas e aplaudido pelos funcionários do hospital onde ficou internado. Ele agradece pelo atendimento recebido na unidade e faz sinais de positivo e de gratidão com as mãos.

— Quero agradecer a cada um de vocês, maravilhoso atendimento. Eu cheguei aqui muito mal e estou saindo vivo, inteiro. E isso deve-se à competência de todos e, acima de tudo, a papai do céu que tomou conta da gente — afirma ele, sendo novamente aplaudido pelos médicos, técnicos e enfermeiros.

Com informações de Extra