Começa nesta quinta-feira (16) a segunda etapa da campanha de vacinação contra a gripe (influenza e H1N1) na cidade de Patos. Nesta fase, serão vacinados os caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo, profissionais das forças de segurança e salvamento, presos, funcionários do sistema prisional e pessoas com doenças crônicas não transmissíveis.

Publicidade

Como os caminhoneiros e profissionais de logística atuam nos serviços essenciais e estão mais vulneráveis, receberam prioridade. Os professores, que estavam previstos para serem vacinados na segunda fase, agora estão na terceira etapa, tendo em vista a suspensão das aulas, conforme decisão do Ministério da Saúde.

Segundo a Prefeitura de Patos, as vacinas estarão disponíveis unicamente nas unidades básicas de Saúde (UBSs), distribuídas em toda a cidade. Vale frisar que a vacina não protege contra o novo coronavírus, mas vai auxiliar profissionais na triagem de pacientes e acelerar o eventual diagnóstico da Covid-19.

A primeira etapa começou dia 23 de março e imunizou as pessoas a partir dos 60 anos e profissionais da saúde. Na cidade de Patos, a primeira fase teve procura acentuada, alcançando 71,39% da meta geral de 90% (11.326 pessoas), preconizada pelo Ministério da Saúde. A informação foi repassada pela coordenadora do setor de imunização, Lucileide Guedes
.



Para esta segunda etapa, o município receberá nesta quarta-feira (15), da 6ª Gerência de Saúde de Patos, o primeiro lote com 1.920 doses. A secretária de Saúde do município, Francisca Lavor Furtado, informou que o percentual de pessoas idosas que ainda resta da primeira fase, será imunizado a partir de amanhã, juntamente com os demais públicos.

Para ter acesso à vacina, os motoristas devem apresentar documento da empresa contratante, e pessoas com doenças crônicas devem comprovar com o laudo médico.

Terceira etapa

 No dia 9 de maio (Dia D da campanha), começa a terceira etapa, que será para gestantes, puérperas (com até 45 dias após o parto), crianças a partir de seis meses e menores de seis anos, professores e demais grupos prioritários, inclusive dois novos públicos inseridos a partir deste ano: os adultos de 55 a 59 anos e as pessoas com deficiência (física, auditiva, visual, intelectual e mental ou múltipla).

Com informações da Coordecom