Brasil registra o menor número de mortes por COVID-19 em 7 dias

Segundo balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, o país tem um total de 11.519 óbitos

Publicidade


O Brasil tem 11.519 mortes 168.331 casos confirmados de coronavírus, segundo balanço do Ministério da Saúde, divulgado nesta segunda-feira, 11. Foram contabilizados mais 396 óbitos e 5.632 pessoas infectadas em 24 horas, menor número em sete dias.

Na última semana, o país registrou recordes de vítimas na atualização diária dos números da pandemia. Na sexta-feira, 8, teve um pico quando foram adicionadas ao relatório mais 751 pessoas que perderam a vida em decorrência da covid-19.


Epicentro da crise de saúde no Brasil, São Paulo registra 46.131 casos confirmados de coronavírus e 3.743 óbitos. A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 89,6% na Grande São Paulo e 68,2% no interior.

Para  aumentar o isolamento social e diminuir a circulação de pessoas na cidade de São Paulo, o rodízio de veículos, suspenso desde o início da pandemia de coronavírus, foi retomado na capital nesta segunda-feira, 11.

A medida atingiu 50% da frota e passou a valer para todo o município, e não apenas para o centro expandido, o dia todo, incluindo fins de semana.



Mais 56 mortes por covid-19 e 877 novos casos foram confirmados no Rio de Janeiro no período de 24 horas. Agora são 1.770 os mortos pela doença no estado, onde há 17.939 casos confirmados. Outras 849 mortes estão sob investigação.

Diretriz de isolamento
Em entrevista coletiva nesta segunda, o ministro Nelson Teich apresentou um estudo preliminar inédito feito pelo Ministério da Saúde sobre quando e em que nível é necessário o isolamento social. No documento, que ainda não está finalizado, há uma escala de cinco níveis de distanciamento, que vai do seletivo ao completo.

“Não é uma política de isolamento nem de flexibilização. É uma análise de cada local e a partir daí a gente define as ações ideais. As decisões cabem aos estados e municípios. O ministério disponibiliza uma linha de raciocínio adequada”, disse.

O ministro disse que na próxima quarta-feira, 13, vai apresentar mais detalhadamente as diretrizes.

Com reportagem de Gilson Garrett Jr. do Estadão Conteúdo