Morre ex-prefeito de Patos Dinaldo Wanderley

Morreu, na manhã deste domingo(24-05), o ex-prefeito de Patos, Dinaldo Wanderley. 

Foi mais uma vítima do  Covid-19. Ele se encontrava internado no Hospital Nossa Senhora das Neves, em João Pessoa, desde semana passada, onde vinha sendo acompanhado por uma equipe médica, e durante a semana apresentou melhoras, deixando  amigos e familiares otimistas, em relação à sua cura. Depois de ser extubado, passou a receber fisioterapia e em uma dessas sessões sentiu cansaço, e a equipe médica achou mais prudente reentubá-lo. 

Na noite de ontem, doutor Bruno Wanderley, filho de Dinaldo, informou, em nota, o quadro do paciente: “Dinaldo não reagiu bem à fisioterapia e foi preciso ser reentubado. Outras coisas foram surgindo como redução da diurese e piora da função renal. Foi feito estimulo para ele, sem resposta, hoje ele vai fazer hemodiálise. Ele está entubado, sedado, em uso de droga vasoativa e complicação renal.” Nas primeiras horas da manhã deste domingo, a notícia final: “É com profunda tristeza que informo ao amigo que nosso pai, após a diálise, teve uma parada cardíaca, vindo a falecer”. (Notas repassadas pelo jornalista Luiz Gonzaga Lima de Morais).


Dinaldo Medeiros Wanderley

(Patos, 20 de junho de 1950 — João Pessoa, 24 de maio de 2020), foi um advogado, economista, empresário, futebolista e político. Foi deputado estadual da Paraíba e durante sua carreira política já foi prefeito de Patos por dois mandatos consecutivos, entre 1997 e 2005 sendo o primeiro prefeito reeleito.

Filho do tabelião Dinamérico Wanderley de Sousa e da professora Haydée Medeiros Wanderley, os irmãos do político são: Werlane (engenheira elétrica - Memória), Vernaide (socióloga), Dione (advogada) e Hermano (engenheiro elétrico). Iniciou os estudos no Grupo Escolar Rio Branco e mais tarde no Coriolano de Medeiros. Continuou a formação educacional no Colégio Salesiano do Recife; se formou em economia pela Fundação Francisco Mascarenhas (20 de dezembro de 1975) e em Direito pela UFPB - Campus Sousa (25 de julho de 1980). Em 1982 foi nomeado titular do Cartório do 2º Ofício de Serviço Notarial e Registral de Patos e em 1973 se casou com a economista, a ex-deputada estadual Edina Guedes Wanderley.

Foi jogador de futebol, atuando em duas equipes profissionais de Patos: Esporte e Nacional. Foi convidado para a seleção paraibana e só não ingressou no Flamengo do Rio de Janeiro por resistência da família. No campo empresarial, foi distribuidor de matéria prima para o setor calçadista, se tornando um dos principais fornecedores dos gangorreiros de Patos. Posteriormente, com a influência do seu tio Rivaldo Medeiros, atuou na construção civil, com ênfase aos projetos públicos. A empresa, que trazia seu nome, foi responsável pela edificação de grande parte das obras realizadas em Patos nas últimas duas décadas do século XX.

Candidatou-se em 1992 ao cargo de prefeito de Patos, pelo PFL, ficando na segunda colocação, na eleição em que o então deputado estadual Ivânio Ramalho foi o vencedor. No pleito posterior, em 1996, concretizou o sonho concorrendo com a deputada Francisca Motta, conquistando 19.577 votos, contra 13.085. Em 2000, se reelegeu com 27.967 votos, contra 15.121 de Nabor Wanderley.

Foi eleito deputado estadual à Assembleia Legislativa da Paraíba, com 32.082 votos no estado, sendo que 14.456 na cidade de Patos. Tentou retornar, em 2008, para a Prefeitura de Patos, mas desta vez foi derrotado pelo antigo concorrente, Nabor Wanderley. Na Assembleia, conseguiu votação suficiente para a reeleição, mas devido problemas jurídicos relacionados à sua gestão no Poder Executivo, foi impedido de assumir o mandato por causa da cassação do seu registro.

Vários políticos, inclusive adversários enviaram mensagens de conforto à família desde o momento da divulgação de sua partida.

Dinaldo Wanderley também era maçom, obreiro da Loja Maçônica Augusto Simões Nº 12 da Cidade de Patos.

Brincalhão, não dispensava uma boa conversa com amigos nas imediações dos mercados públicos e em outras artérias da cidade.

Amante da política, lançou seu filho Dinaldinho candidato a prefeito em 2017, sendo vitorioso, para sua alegria. Durante as campanhas, era incansável, andava  de casa em casa em busca de votos, sendo algo já comum, em suas lutas cívicas.

Deixará uma grande lacuna, haja vista que, além de bastante comunicativo e humano, Dinaldo foi um dos melhores jogadores de futebol da Paraíba, tendo jogado no Nacional de Patos e Esporte,sendo procurado por times famosos do "sul" do país.

Ele mantinha uma lista de transmissão pelo whatsapp, onde, todas as manhãs, mandava mensagens de otimismo e bom-dia. Agora esse canal ficará mudo, para tristeza de seus muitos seguidores.

Seu corpo depois de velado em João Pessoa, será cremado. Suas cinzas virão para Patos onde ficarão no jazigo da família.

Por Marcelo Negreiros com pesquisa na internet