5 simples passos para memorizar as coisas

Tanta gente reclama ter memória ruim. É muita coisa para lembrar como datas de aniversários, a lista do mercado, a matéria da prova… E nada fica retido na mente como queremos. Mas com a técnica certa é possível lembrar do que você quiser. É por isso que eu uso tanto o meu hipocampo artificial de mão, meu smartphone: para lembrar dos detalhes que não cabem na minha mente.                            

Mas você não precisa depender de um dispositivo para ampliar a memória do seu cérebro — memorizar textos ou qualquer coisa — de acordo com Nelson Dellis, Campeão da Memória dos EUA quatro vezes e Grande Mestre da Memória. Alguns de seus feitos mnemônicos incluem:

  • memorizar de dez mil dígitos de pi,
  • lembrar da ordem de nove baralhos de cartas embaralhados
  • e de listas de centenas de nomes após de ouvi-los uma única uma vez.
Nelson diz que com um pouco de aplicação todo mundo pode melhorar a própria memória. Siga estes cinco passos que vão permitir que você lote o cérebro de informações úteis.

1. Use imagens fortes

Jesus assistindo tv no sofá da sala

Iniciemos com um exercício de memorização bem simples: as 7 maravilhas do mundo. Para recordá-las Nelson recomenda transformar cada um destes lugares em uma imagem mental simples, estranha e fácil de lembrar, como disse em uma entrevista para a Wired. No caso da Grande Muralha da China você pode apenas imaginar uma parede. Para Petra, na Jordânia, você pode lembrar de uma pedra, pois o nome é similar.         

“Usar imagens mentais suculentas como essas é extremamente eficaz. O que você quer deve fazer é criar grandes memórias multissensoriais”, afirma Julia Shaw, pesquisadora em psicologia da University College London e autora de dois livros sobre memória. Você deve criar aquelas imagens mentais que possa quase cheirar, passar a mão, sentir e ver, para que sejam o mais marcantes e tangíveis possível.

Tem ciência nessas dicas. Segundo ela, imagens que carreguem emoção, grosseiras, esquisitas aderem na mente. Estudos sobre o cérebro indicam que a amígdala — a parte reptiliana primitiva e emocional do cérebro — impulsiona diferentes áreas do órgão a armazenarem memórias. É por essa causa que emoções fortes tem maior probabilidade se se fixarem na mente como memórias.

2. Coloque essas imagens em um local

Casa amarela

Na próxima etapa você vai povoar essas imagens marcantes em algum lugar que você conhece bem. Nelson inclui as sete maravilhas do mundo em sua própria casa. Ele imagina chegando em casa e logo na entrada tem um muro alto (Muralha da China), ele chega na sala e Jesus está de boas assistindo TV no sofá (Cristo Redentor), imagens estranhas são as melhores e mais marcantes, segundo ele. Ao entrar na cozinha tem um peru enorme que está preparando o almoço e fazendo glu-glu (Machu Picchu, no Peru).  

Essa é a técnica do Palácio da Memória, afirma Nelson, excelente para lembrar coisas em certa ordem. Relaciona o que você tem que lembrar com um lugar real e bem conhecido.

Quando a lista tem apenas sete elementos, pode ser um espaço pequeno, mas e quando ele quis memorizar dez mil dígitos de pi? Nesse caso Dellis precisou usar um lugar muito maior e foi a vizinhança inteira de uma região da sua cidade. Ele quebrou os dígitos em dois mil fragmentos e os espalhou por 10 bairros distintos.

Estudos mostram que pessoas tentando aprender usando a técnica do palácio da mental mostram atividade mais intensa na região occipito-parietal do cérebro, afirma Shaw. Essa é uma indicação de que a técnica recruta ajuda de outras áreas do cérebro que costumam ser utilizadas por outros sentidos. O lobo occipital está ligado à visão e o parietal a navegação, diz ela.

3. Como manter atenção

mulher se concentrando no mantra

Recordar as sete maravilhas do mundo é simples, mas gravar dez mil dígitos de pi exige muito mais motivação. Nelson usava um simples mantra que repetia para si frequentemente “Quero memorizar isso, quero memorizar isso”. É uma frase simples que mantinha sua atenção concentrada no objetivo.        

4. Divida as coisas

sam neil no traje do homem de ferro

Para memorizar nove baralhos embaralhados ou os dígitos de pi, separar os ítens em pequenos blocos é muito útil. Nelson dividiu cada bloco de cinco dígitos de pi em uma imagem fácil de lembrar. Segundo ele é fácil de lembrar e associar palavras, pois elas evocam imagens mentais. Números e cartas de baralho são mais difíceis. Por isso sempre que ele vê um nome, uma carta já tem uma imagem predefinida em mente.     

Os primeiros cinco dígitos de pi, depois da vírgula para Nelson são representados pelo ator Sam Neil usando o traje do Homem de Ferro (isso mesmo), o segundo grupo de 5 dígitos é a imagem de uma amiga dele vestida como o imperador do filme gladiador com o polegar apontando para baixo.             

5. Revise                         

Terminando de classificar as imagens e povoando o seu palácio mental resta passear pelo palácio com frequência para se certificar que as imagens não sairão da sua mente. Segundo Shaw, a maioria das memórias que temos não passa para o armazenamento de longo prazo, portanto é fundamental repetir para fazer que memórias de curto prazo se transformem em memórias de longo prazo.                         

Não há truque para essa parte: praticar, revisar, repetir. Esse é o trabalho árduo que deve ser realizado diariamente. Para alcançar seu objetivo de virar campeão da memória Nelson treinava diariamente até a recordação se transformar em algo natural. [Wired]

Com informações de Hypescience