Panorama político.

É o novo programa a ir ao ar, a partir do próximo dia 21 de julho, em Patos. Com a palavra Bertrand Chaves e Marcelo Negreiros.

Muitos para poucos

Patos vai repetir as campanhas de 1988 e 1992, para vereador. É que, nesses dois pleitos, apenas Armando Olinto conseguiu ultrapassar a casa dos 1 000 votos. Também a renovação foi grande, embora tenha saltado de 13 para 19 cadeiras, no legislativo.

Ramon vs Ivanes

O vereador Ramom Pantera afirma que há ilícitos no executivo, na atual gestão, com o prefeito interino Ivanes Lacerda. Ivanes rebate e diz que vai processar o referido vereador.

Agora é aguardar. Só não vale acusar sem provas, levado unicamente pelo rancor, por ter a esposa exonerada da prefeitura. É o que dizem!

Bons nomes

Há espectativa em relação à sucessão municipal. Bons nomes estão circulando como pré- candidatos. Professor Jacob, doutor Ramonilson, doutor Érico, Edjane ( atual vereadora), o próprio Ivanes, podendo surgir mais concorrentes.

Façamos nossa escolha.


Entre a cruz e a espada

Alguns vereadores de Patos recuaram, em relação à doação do prédio do fórum ao TJPB. Alegaram que não tinham analisado direito a situação. Nós acreditamos na pressão popular. Se não fora isso, a justiça teria sido presenteada com uma estrutura de 10 milhões de reais.

Mas acreditamos que Ivanes agiu sem outro motivo, senão de doar o que há décadas já servia ao poder judiciário.

E o museu?

Uma verba vultosa foi destinada à construção de um museu em nossa cidade. Demoliram uma bela estrutura, onde funcionavam uma Secretária de Educação e um restaurante, com uma praça, prejudicaram o trânsito e o dinheiro sumiu, sem que a obra fosse construída. Os vereadores não investigam e a coisa fica por isso mesmo, no país da impunidade!

Sindicato de ladrões.

.Nome de um filme, estrelado por James Dean, nos idos de 50. Ainda hoje, dizem, é assim. Sindicatos que servem para alimentar, com muita grana, alguns espertos dirigentes.

Há alguma semelhança com nossa cidade? Fica a interrogação!

Covid-19

Pois não é que há prefeitos e governadores torcendo para a epidemia continuar! É isso aí. Muito dinheiro do governo federal e o fabrico de doentes nos hospitais estaduais

e municipais. Isso sem se contar as compras sem licitação e fiscalização.

E os funcionários recebendo a ajuda de 600 reais?

Alguns disseram que não haviam solicitado, que o dinheiro entrou nas suas contas. Aí eu pergunto: pode isso? Enquanto não concebemos tal expediente, pessoas que realmente necessitam tiveram a referida ajuda negada.

Dormir faz bem à saúde

.Em plena sessão virtual, num raro momento de trabalho, eis que um procurador dorme como um anjo. Os outros apenas riem, mesmo diante de algo que desmoraliza ainda mais essa classe. Que o diga Gilberto Carneiro, que era Procurador Geral e hoje se vê destituído, até, de advogar, por conta do seu envolvimento na Operação Calvário.

Por hoje, basta!