O presidente Jair Bolsonaro determinou a criação de um departamento específico para tratar de políticas públicas voltadas para pets como cães e gatos. A Coordenação Nacional de Proteção e Defesa Animal foi instituída por meio de decreto publicado nesta quarta-feira, 12, que reestruturou o Ministério do Meio Ambiente. As mudanças têm 45 dias para serem implementadas.

A nova coordenadoria está ligada à Secretaria da Biodiversidade, subordinada ao Departamento de Conservações de Espécies, dedicados à proteção de fauna e flora brasileira e exótica.                 

O presidente Jair Bolsonaro determinou a criação de um departamento específico para tratar de políticas públicas voltadas para pets como cães e gatos. A Coordenação Nacional de Proteção e Defesa Animal foi instituída por meio de decreto publicado nesta quarta-feira, 12, que reestruturou o Ministério do Meio Ambiente. As mudanças têm 45 dias para serem implementadas.

A nova coordenadoria está ligada à Secretaria da Biodiversidade, subordinada ao Departamento de Conservações de Espécies, dedicados à proteção de fauna e flora brasileira e exótica.                 

Inicialmente, pensava-se em criar uma secretaria nacional que teria como foco o controle populacional e o combate às zoonoses. Em março do ano passado, conforme registrou o Estadão, o ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni, médico veterinário e então chefe da Casa Civil, chegou a consultar deputados e especialistas para viabilizar a criação de uma secretaria nacional em que o foco do órgão seria o controle populacional e o combate às zoonoses.

Há também uma demanda no Congresso para que o governo autorize rubricas específicas na liberação de emendas parlamentares à destinação de recursos para procedimentos animais, como castração, esterilização, microchipagem e registro de animais.

Em junho, a primeira-dama Michelle Bolsonaro adotou um cachorro que apareceu no Palácio da Alvorada. O pastor-maremano chegou a ser batizado de Augusto e ganhou perfil no Instagram. Com o sucesso nas redes sociais, o tutor do cão que havia fugido apareceu para resgatá-lo. Augusto, que se chamava Zeus, foi devolvido à família no Palácio do Planalto.

Pressionado a apresentar ações contra o desmatamento, o governo promoverá alterações na estrutura do Ministério do Meio Ambiente. Três secretarias serão reestruturadas em uma tentativa de mostrar que temas como mudanças no clima, preservação de áreas protegidas e proteção da Amazônia são prioridades da pasta.


As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.