Numa entrevista concedida à TV Itararé na noite de ontem, o ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) criticou duramente o ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), a quem chamou de “ladrão”. Ao tratar dos resultados que a Operação Calvário apontou até agora, Cássio disse que as investigações teriam exposto a atuação de um “esquema criminoso” instalado no poder executivo estadual.

Derrotado em 2018 no segundo turno, Cássio declarou que seria impossível vencer o pleito porque ele teria sido fraudado “por uma quadrilha”. “Isso quem afirma não sou eu, mas o Ministério Público Estadual e alguns ex-secretários do ex-presidiário Ricardo Coutinho que conseguiu se livrar da tornozeleira eletrônica por decisão do ministro Gilmar Mendes”.


O tucano enfatizou que não acredita no rompimento entre Ricardo e o governador atual João Azevêdo: “Não podemos engolir essa estória de que Ricardo e João estão rompidos porque isso é uma mera estratégia de defesa e João Azevêdo é o principal beneficiário da quadrilha da Operação Calvário. Por que ele foi o escolhido? Porque ele era cúmplice e membro do alto escalão do esquema”, afirmou Cássio Cunha Lima.

Ao comentar a aliança feita pelo ex-senador Cícero Lucena com o Cidadania de João Azevêdo, Cássio disse que cabe a Cícero responder sobre isso. “Se ele está fazendo essa escolha, ele deve refletir sobre isso até porque João Azevêdo é do time de carrascos que queria destrui-lo. Mas, obviamente Ricardo e João são a mesma pessoa”.

A entrevista foi conduzida pelos jornalistas Arimatéa Souza e Valderedo Borba.


Com informações de Parlamentopb