Antes do julgamento, foi realizada uma testagem rápida para Covid-19, com todos os jurados, partes, réu e advogados. O caso envolvia crime de feminicídio               

Seguindo as recomendações da segunda fase do Plano de Implantação de Retorno Gradual e Sistematizado às Atividades Presenciais (PI) do Poder Judiciário estadual, a juíza da 1ª Vara Mista da Comarca de Patos, Isabella Joseanne Assunção Lopes, presidiu, na tarde dessa quinta-feira (13), na Sala do Tribunal do Júri, a primeira sessão de julgamento presencial de réu preso, após a retomada gradativa dos trabalhos. O caso envolvia o crime de feminicídio e o acusado foi condenado há 16 anos. Antes de iniciar o Júri, foi realizada uma testagem rápida para Covid-19, com todos os jurados, partes, réu e advogados.

A magistrada Isabella Assunção explicou que foram tomados todos os cuidados necessários, sendo limitada a presença de pessoas no Tribunal do Júri, apenas cinco familiares da vítima e do condenado. Além disso, a sessão foi gravada em tempo real e disponibilizado o link para os interessados.


“Estamos tomando todos os cuidados da biossegurança, com medição de temperatura, testagem rápida, e distanciamento exigido pelo Tribunal de Justiça, com total apoio da Direção do Fórum. Estamos, dentro do novo normal, de uma maneira cautelosa, retomando os nossos trabalhos à frente do Tribunal do Júri da Comarca de Patos, para garantir, de maneira segura, a entrega da prestação jurisdicional à sociedade”, ressaltou Isabella Assunção.

A Comarca de Patos atende, também, as cidades de: Areia de Baraúnas, Cacimba de Areia, Condado, Malta, Passagem, Quixabá, Santa Teresinha, São José de Espinharas, São José do Bonfim, São Mamede, Vista Serrana.


Por Lila Santos/Gecom-TJPB