Engajado em causas ambientais, o ator Leonardo DiCaprio fez uma publicação no último sábado, 15, em que critica o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). DiCaprio afirmou que o presidente “duvidou publicamente da gravidade” dos incêndios na Amazônia. Afirmou também que há “preocupação crescente de que o desmatamento em andamento não esteja recebendo atenção suficiente”.                  


Ver essa foto no Instagram

From The @Guardian: The number of fires burning in Brazil's Amazon in July was up 28% on the same month last year, according to data from Brazil's space research agency INPE. Early numbers for August also show a 7% increase. Brazil's president, Jair Bolsonaro, is under pressure internationally to curb the fires, but he has publicly doubted the severity of them in the past claiming opponents and indigenous communities were responsible. Last year's Amazon wildfires were devastating enough, but with the weather being drier this year so far, as well as the Coronavirus pandemic which has killed more than 99,000 Brazilians, there is growing concern that the ongoing deforestation isn't getting enough attention. . . . . . . #Brazil #Amazon #Rainforest #Wildfires #Deforestation

Uma publicação compartilhada por Leonardo DiCaprio (@leonardodicaprio) em

Publicidade:
 

Em resposta, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, convidou DiCaprio a “conhecer como as coisas funcionam na Amazônia”. Mourão deu as declarações ao participar de um encontro da Confederação Nacional da Indústria (CNI) sobre desenvolvimento sustentável na Amazônia. O vice-presidente comanda o Conselho Nacional da Amazônia Legal.     

“Eu gostaria de convidar o nosso mais recente crítico, o nosso ator Leonardo DiCaprio, para ir comigo aqui a São Gabriel da Cachoeira e nós fazermos uma marcha de 8 horas pela selva, entre o aeroporto de São Gabriel e a estrada de Cucuí. E ele vai aprender, em cada socavão que ele tiver que passar, que a Amazônia não é uma planície e aí entenderá melhor como funcionam as coisas nesta imensa região”, acrescentou o vice-presidente.

Desmatamento na Amazônia

No começo deste mês, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) informou que os alertas de desmatamento na Amazônia aumentaram 34,5% nos últimos 12 meses.    

Com informações de Catraca Livre