O ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) concedeu uma entrevista neste sábado (22.ago.2020) para detalhar as ações do governo diante do rompimento de uma tubulação de obra da transposição do Rio São Francisco.

O incidente ocorreu em trecho que faz parte do Eixo Norte, inaugurado em 26 de junho pelo presidente Jair Bolsonaro. O sistema abastece outras cidades do Ceará, inclusive da região metropolitana de Fortaleza.

Marinho informou que, por precaução, 2.000 pessoas tiveram de deixar suas casas. Segundo o ministro, a construtora Ferreira Guedes está se preparando para iniciar o reparo emergencial.

“O consenso entre os técnicos é que nas próximas 72 horas nós teremos a estabilidade [da parede da barragem] plenamente restabelecida. A partir daí, há a necessidade de se continuar o trabalho para se restabelecer toda a integridade da barragem como 1 todo. É importante colocar que não houve dano na estrutura da barragem em si. O que ocorreu foi o rompimento do duto”, frisou o ministro.

Marinho disse que tão logo a estabilidade esteja garantida, as famílias que tiveram de deixar seus lares poderão retornar. “Amanhã, nesta mesma hora, faremos uma outra avaliação. Pode ser até que haja uma antecipação desse retorno das pessoas às suas residências”.

O chefe da pasta do Desenvolvimento Regional estimou perda de quase 2 milhões de m3 de água, mas nem todo o volume foi desperdiçado. “Essa água foi escoada no canal do Eixo Norte, e está sendo recepcionada na barragem Atalho, que é a primeira em uma linha de seis barragens até a fronteira com a Paraíba”, afirmou.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o momento em que o duto cede.



Na 5ª feira (21.ago), o ministro Rogério Marinho participou de evento que abriu a comporta que libera água da barragem de Jati para o CAC (Cinturão das Águas do Ceará).

O ministro vistoriou as obras na tarde deste sábado (22.ago) depois do incidente.


Com informações de Poder 360