O fotógrafo de Amsterdã Bas Uterwijk, com ajuda da inteligência artificial, tem desenvolvido um trabalho de “chute bem calculado” de como seria o rosto de várias personalidades históricas. De Napoleão Bonaparte a esculturas, dezenas de rostos têm ganhado vida graças a esse projeto que tem recebido críticas positivas.

Essa séria de imagens começou a ser criada em 2019, quando Uterwijk fez um experimento com uma fotografia bastante danificada de Billy the Kid, um pistoleiro norte-americano. Ele tem formação em computação gráfica, animação em 3D e efeitos especiais.

Para recriar esses rostos, ele escolheu o Artbreeder, software que utiliza redes contraditórias generativas, um tipo de algoritmo em que duas redes neurais concorrentes trabalham para renderizar imagens. O software é alimentado com um banco de imagens com milhares de rostos e vai sendo treinado a criar rostos específicos, de forma muito mais realista do que pinturas de época, como por exemplo Van Gogh.


“Essas redes ‘Deep Learning’ são treinadas com milhares de fotografias de rostos humanos e são capazes de criar pessoas praticamente fotorrealistas a partir do nada ou melhorar faces que são carregadas [no software]”, explica ele ao Bored Panda.

Ele relata que a inteligência artificial faz o trabalho pesado, mas que ele precisa fazer alguns ajustes finais no Photoshop, como adequar roupas ou cortes de cabelo à época. “Apesar de ver minhas criações mais como impressões artísticas do que cientificamente justificadas, em alguns casos os resultados me parecem muito mais próximos da realidade do que a maioria dos outros métodos usados em reconstruções”.

Billy the Kid


Vincent Van Gogh


Retratos de Faium


Napoleão Bonaparte


David de Michelangelo


Jesus Cristo


Rembrandt


Nicolau Maquiavel


George Washington


Elizabeth I

Com informações de Hypescience