O candidato a vereador, pelo Patriota,  Josmá Oliveira, um dos mais cotados a assumir uma das vagas na Câmara de Vereadores de Patos, revoltado com a atual situação dos cães de rua da cidade, desabafou junto à imprensa, 


"Isso é inadmissível, o problema é visto a olho nu e dista de longa data, sem que as autoridades competentes façam algo em defesa desses pobres animais, que não pediram para nascer e que também são criaturas divinas"

Em seguida, disse: "Não estou fazendo promessa de campanha, pois já ajudo os animais abandonados, na medida do possível. Dou alimento, abrigo e carinho; não posso, porém, fazer por todos. Daí querer ser vereador, para melhor assistir aos que não têm ninguém para os olhar: os cães e gatos que vivem sem a certeza do amanhã, sujeitos à chuva e o sol, sem alimento sadio e ainda servindo para saciar o instinto dos que não têm um coração voltado para a prática do bem. E eu farei, darei de mim o que for preciso e necessário à melhoria de vida desses inocentes e indefesos animais!"


Depois destacou: "Eleito, garanto que lutarei junto ao poder executivo para a efetivação do Centro de Zoonose de Patos, exigido desde 2017, mas não posto em prática de maneira efetiva, havendo apenas lances de mídia, não sendo a realidade que vislumbramos no nosso dia a dia, com uma população canina que foge à lógica e isso tem um nome: insensibilidade humana"

Revolta geral

Ressaltou Josmá Oliveira que, embora estivesse altamente revoltado e penalizado com o quadro triste nas ruas de Patos, esse sentimento não era somente seu, mas de todos os moradores da cidade, destacando: "Acho que somente os que fazem os poderes executivo e legislativo não pensam com o coração, num caso como esse! Não vejo nenhuma ação objetiva, nada que sinalize uma solução definitiva. Vejo, sim, atitudes humanas por parte de terceiros, por pessoas que não concebem tanta falta de amor. Digo mais, vou conseguir um crematório, para que esses animais, quando mortos, não sejam jogados ao léu, à toa, vítimas da falta de piedade dos que têm obrigação de ajudar. Mas os cães de rua não votam, não têm currais eleitorais.

Também tentarei, junto com outros vereadores, resolver o problema da alimentação, de comum acordo com as autoridades veterinárias, quando iremos dar ênfase à castração, sempre que necessária.

Esse será um dos motivos porque peço para confiarem em mim, me dando condições de lutar de maneira abrangente por toda a sociedade patoense", finalizou.

Por Marcos Nogueira