O jornalista Rodrigo Constatino foi demitido nesta quarta-feira (4) do quadro de funcionários da Jovem Pan. A atitude da rádio foi tomada após o economista expressar sua opinião sobre o caso de Mariana Ferrer, no qual a Justiça considerou como “estupro culposo” o crime cometido contra a blogueira catarinense.

Ao comentar o caso durante live da rádio, Constantino relembrou o caso e frisou que nas circunstâncias em que o crime ocorreu, caso o episódio tivesse acontecido com sua filha, ele não denunciaria para polícia e ainda a deixaria de castigo.

“Ela vai ficar de castigo feio, eu não vou denunciar um cara desses para polícia, eu vou dar esporro na minha filha, que alguma coisa ali ela errou feio e eu devo ter errado…Para ela agir assim!”, declarou o jornalista.

Rodrido continua: “É um comportamento absolutamente condenável, só que a gente não pode falar mais essas coisas hoje em dia. Existe mulher decente também ou piranha. Não existe a ideia de mulher decente? As feministas querem que não [exista a ideia]”, diz.


Após a repercussão da declaração, a rádio decidiu por retirar o economista do seu quadro de funcionários. Em seu Twitter, o jornalista confirmou a sua saída e criticou a distorção da sua fala e a pressão sobre o veículo de comunicação.

“Vcs venceram uma batalha, parabéns! A pressão foi tão grande sobre a Jovem Pan, DISTORCENDO CLARAMENTE MINHA FALA, que não resistiram. Não os culpo. É do jogo. Quem me conhece e quem viu de fato sabe que eu jamais faria apologia ao estupro! Mas desde já estou fora da Jovem Pan”, disse.

“Sou muito grato por tudo que a Jovem Pan fez, pelo espaço livre, pela confiança. Foi um período de trabalho intenso, muitas conquistas e crescimento”, completou.

Com informações de Isto É