O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) interditou eticamente os médicos que trabalham na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), em Campina Grande. Conforme o diretor de fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa, que realizou vistoria nesta terça (17), a unidade não tem condições de receber novos pacientes por haver um surto de infecção bacteriana de alta resistência, que ocasionou três óbitos de bebês em 24 horas.

Com a interdição, a partir da zero hora desta quarta-feira (18) médicos estão impedidos de receber novos pacientes


Conforme foi denunciado por médicos do hospital e comprovado pela equipe de fiscalização do CRM-PB, o Isea sofre com superlotação constante, sucateamento e falta de equipamentos que permitem que haja adequada desinfecção, além da falta de profissionais.

“Infelizmente, a UTI Neonatal não pode continuar funcionando desta forma e não tem condição alguma de continuar admitindo novos recém-nascidos”, afirmou João Alberto Pessoa.

Com informações de Parlamentopb