Foto: Ascom

O professor Valdiney Gouveia, nomeado nesta quinta-feira (05) pelo presidente Jair Bolsonaro a reitor da Universidade Federal da Paraíba, considerou como natural as reações contrárias à nomeação por ter sido o menos votado da lista tríplice, que foi enviada para escolha do presidente.

“Eu respeito a opinião da professora Terezinha Domiciano e de sua vice, Mônica Nóbrega. Isso é normal. Vivemos num contexto democrático, que indica que existe uma consulta pública na UFPB ou uma indicação no Conselho Superior e a partir desta lista tríplice que se forma, e é o presidente da República quem nomeia. Eu fui um dos que estava na lista. Sou servidor da UFPB há quase três décadas e legitimamente, porque tenho competência no ensino, na pesquisa na extensão e na gestão”, explicou.

Valdiney, que assume o cargo no próximo dia 11, disse que será reitor não para representar um grupo A ou B, partido A ou B, senão a Universidade Federal da Paraíba e a todos que queiram se integrar a essa nova gestão para fazer com que a instituição seja efetivamente grande.


O primeiro passo será focar na transição e escolher os nomes que vão compor a futura equipe administrativa para os próximos quatro anos de gestão da UFPB.

“Nós temos uma carta-programa que já está bem delineada e vamos cumprir, mas o primeiro passo será nos aproximarmos da atual gestão para podermos fazer uma transição, embora não com o tanto de tempo que gostaríamos. Mas, temos uma possibilidade de conversar para saber em que pé anda universidade para que comecemos a planejar e já definindo a equipe que vai estar conosco durante esses próximos quatro anos”, concluiu.

Com informações de Paraibaonline ( Hacédama Borba)