Por 

Marcos Nogueira

O dia amanhece! -Bom dia, passarinhos! Bom dia, flores! Bom...
- E o bonito, dá? Cabra besta! Parece um fresco! Essa história de dar bom dia!...
- Você é é despeitado! Não sou viado, não!
- Se não for, tem pinta!
- E viado tem pinta?
- Tem mais não usa. Mas não tô falando dessa pinta, não. Tô dizendo que você tem jeito!
- Tá bom, não precisa me morder, não. Pra jumento só faltam os chifres!
- Jumento não tem chifres!
- Então não falta nada! Eita Zé do Povo que não é gente, não!
- Tu que não é, Boca de urubu!
- Vamos acabar com os fricotes!
- Hum, tá bom! Mas se começar, já viu!


-Tô lendo, Zé, que os vereadores reeleitos tão correndo atrás dos novatos. Querem a presidência da Câmara. Tem um que dava pra ser chefe de...de... você sabe!
- Sei e sei quem é! Doido por poder e dinheiro. Não é aquele... deixa eu dizer em teu ouvido!
- E por que não diz alto?...
- Dá processo. O cara ou a cara é satanás! Xô satanás!
- Eu, hein! Nem morto! Esse Boca é medroso!
- Diz, tu, valente!
- Você que começou! Falou que leu no jornal O Sertão.
- Eu não falei em O Sertão, não!...
- Imaginei!...
- Mas li e ouvi comentários. Os recém-eleitos não estão aguentando mais. Propostas e mais propostas! E vai correr uma mão de dinheiro e oferta de cargos. É sempre assim!
- É, mais só se elegem uma vez. Depois ficam acumulando derrotas! Teve um, inclusive, que quis voltar, mas perdeu o rumo da porta. E até empresário trabalhou pra ele. Quando o eleitor não quer, já viu!


- E ouvi dizer, Boca, que os novos vão indicar os próprios nomes, e eles têm maioria!
- Você acha?...
- É só contar! Agora, é preciso ser macho, no falar nordestino! E o que mais diz o tal jornal? E é porque tu não sabes ler!
- Quem disse que não sei, quem? Não ando é me exibindo... como certas pessoas que conheço!
- Isso e comigo?...
- Não, é com teu umbigo!
-E o que você acha?..
- Não é eu achar. É a realidade. Alguns, dos que se iniciam agora, disseram gatos e cachorros sobre essa velha política. Se mudarem, podem comprar o caixão!
-Também acho. Estou vendo mudanças de comportamento. Agora, eles podem ter uma boa convivência com o prefeito. Basta ele ser eleito!
-Du vi de o dó! Esse prefeito ser honesto?! Tás brincando, tás?
- Oxente, num pode, não, é?...
-Tu já viu xique-xique dar manga? Lagartixa bate asas e voar? Acredita em mula sem cabeça? Homi, seu Ernesto mora do outro lado da rua!
- Ô homem desconfiado!
- Não é desconfiado, não. É realista, verdadeiro, sincero...
- Tá bom, não precisa desse auto- elogio, não!
- Agora chegou Valdemar com um balaio de merda! Quer dizer que eu não posso falar que sou um homem de bem?
- Nem de bem, nem de bens!
-O quê?!!!... Você não é besta, não!
- Tô brincando, Boca, sei que você é o cara!
- Se não me comparar com Lula, obrigado!
- Lula? Por que Lula?...
- Mentecapto, foi Obama quem disse, quando era presidente dos EUA e o barbudo governava o Brasil!
- Ah! Agora entendi!
- Pois é. O diário oficial do município vai se encher de nomeações, os derrotados vão receber apenas um consolo, e tudo continuará como dantes, no quartel de Abrantes. Falo da prefeitura!
- Como era bom, quando a honestidade existia!
- Quando foi isso, quando? Eu não era nascido, não!
- Homem, senta numa touceira de....
- Senta, tu, Manu!
- Quem é Manu?...
- Aquele que brigou com tu! Me vinguei! Tchau que já me vou, assim dizia o doutor!
- Eu sei, doutor Raiz!
Tudo bem, nada como um dia atrás do outro...
- E uma noite no meio. Não vem que não tem, Zé do Povo!

*Marcos Nogueira é Jornalista