É certo que há meses me decidi votar em Josmá Oliveira, para vereador. É certo que há meses  me decidi votar em Ramonilson Alves, para prefeito de Patos. São opções que foram objeto de análise, para, depois, não lamentar pelas escolhas feitas. O  que todos os eleitores deveriam  fazer, independente de cores ou siglas partidárias.

Isso, porém, não me impede de adjetivar outros postulantes, outras pessoas, que, inclusive, gozo da amizade. E são vários os candidatos que fazem por merecer minha confiança, tanto pelo caráter, quando pelos vastos conhecimentos do amplo debate cívico ou ideológico.


Cito agora, por dever e por palavra, o nome de Luiz Gonzaga Lima de Morais, um homem dos mais dignos da sociedade patoense , apenas o situando em nossa cidade.

E se não fosse dessa maneira, como iria me referir a essa polivalente pessoa, alguém que assumiu diversos papéis no teatro da existência, tendo sempre um exemplar desempenho!


Aí, traçando um perfil de Luiz, poderia me referir ao radialista; jornalista; professor;  bancário; auditor trabalhista, e homem afeito à ética, à serventia e à docilidade, angariadas no lar e igreja, transmitidas a filhos, amigos e a todos que de si se cercam e que buscam melhorar seus conhecimentos. E Luiz Gonzaga é um verdadeiro poço de sabedoria e humildade!

E, sinceramente, Patos precisa muito mais dele, como um seu representante, do que ele, propriamente, desse posto legislativo. Digamos: as duas coisas. Patos necessita de bons vereadores e Luiz Gonzaga quer servir à nossa cidade, tentando retribuir um pouco do muito ofertado. Jogo igual!

Que lucro tenho, tentando mostrar as qualidades que tem esse amigo de tantas jornadas ou caminhada! Simplesmente fazer ver aos que não sabem ou a outros que ainda não pararam para refletir, que temos todos que agir com a consciência, que podemos ter uma Câmara de Vereadores à altura do nosso povo, com 17 parlamentares capacitados e dignos de todos nós patoenses. Vereadores da estirpe de Luiz Gonzaga Lima de Morais! 

Com um parlamento de qualidade e um poder executivo constituído por um prefeito idôneo, teremos dias de ventura, pois não haverá o mercantilismo costumeiro, o profissionalismo da política, a improbidade administrativa e outros males que passaram a fazer parte do dia a dia dos mercenários que se infiltraram dentro desse poder. E há tempo para tal...a se iniciar agora!

Marcos Nogueira é jornalista