O município de Patos acumula 21 candidatos que não tiveram nem o próprio voto nas três últimas eleições municipais, de acordo com um levantamento do Patosonline.com com base nos dados oficiais do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba-TER-PB.

Os números levam em consideração os resultados ocorridos a partir das eleições municipais de 2012, quando os partidos e até então as coligações, passaram a lançar candidatos com vários objetivos, e entre eles, o de cumprir apenas o preenchimento de cota em relação as vagas destinadas por sexo, notadamente entre as mulheres.

Em 2012, Patos teve seis candidatos a vereador com resultado zerado em suas votações, pressupondo as chamadas “candidaturas laranjas”, que pode resultar em sanções por parte da justiça eleitoral, caso de João Doido, (PTC), Duda Mineral, (PSD), Solange Aielo, (PRP), Silmara e Cícero Cirino, (PSOL) e Josimar Roberto, (PPS).


No pleito de 2016, ocorreram as supostas candidaturas laranjas de Gertrudes das Sete Casas, (PTdoB), Lindinalva, (PSDB), Samira Medeiros, (PSB), Célia, (PSDB), Gilson de Guilherme, (PSC), Vera Lúcia, (Solidariedade), Igor Medeiros, (PSDB) e Telma Maria, (PSOL). Nenhuma foi questionada judicialmente.

Nas eleições de 2020, aparecem com votação zerada os candidatos Wendel e Betânia, (MDB), Albanete, (REDE), Fabiana Gomes, (Solidariedade) e Valdilene, (DEM). Fabiana Gomes, no entanto, está com o resultado de sua votação sub-judice, fato que pode fazer com que seus votos sejam computados posteriormente.

Esse ano, alguns partidos estão questionando as supostas candidaturas laranjas, o que pode resultar mediante decisão judicial, na anulação dos votos do partido em que se configurar a prática de crime eleitoral.

Caso isso ocorra, haverá uma redistribuição de vagas na Câmara Municipal de Patos, por conta da necessidade de recálculo do quociente eleitoral, e consequentemente, do preenchimento das vagas por partido.


Por Genival Junior – Patosonline.com