Um dos suspeitos do envolvimento na morte do ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira, se apresenta na manhã desta terça-feira (15), na Central de Polícia, ao delegado responsável pelas investigações. Identificado como Gean Carlos, ele ficou de se apresentar acompanhado do seu advogado, segundo informações recebidas pelo ParlamentoPB.

Até agora já foi identificada a participação de dois homens na morte do ex-prefeito. Os dois tem relação com um parente da vítima. Se o parente tem ligação com o crime, as investigações vão apurar. Foi o que revelou o delegado de Crimes Contra a Pessoa, Vitor Melo, da Polícia Civil, durante entrevista coletiva no final da manhã de ontem (14) sobre as investigações do caso.

Um deles, identificado como Leon, foi preso por outro crime no último sábado (12). O outro suspeito, segundo o delegado, ficou de se apresentar esta semana, o que pode ocorrer hoje. Os dois homem trabalharam na campanha a vereador de Bayeux de Ricardo Pereira, sobrinho de Expedito Pereira.  Ricardo foi chamado a depor, mas ainda não compareceu.


Leon foi preso no sábado (12), por estelionato. O delegado confirmou que ele e o outro suspeito pegaram a moto que seria usada no crime emprestada, mas que o proprietário do veículo não sabia para que fim ela seria usada. Foi ele, aliás, que procurou a polícia espontaneamente e relatou que a moto havia sido usada no crime.

O crime

Expedito foi morto na manhã do último dia 9, quando andava pela avenida Sapé, por volta das 9h13. Um homem em uma motocicleta se aproximou e efetuou disparos contra o ex-gestor, de 72 anos, que morreu na hora.

A câmera de um estabelecimento comercial próximo do local do crime captou o momento do crime.

Com informações de Parlamentopb