Pelo menos 26 pessoas morreram e mais de 60 ficaram feridas após um ataque no aeroporto da cidade de Aden, no Iêmen, logo depois que um avião que transportava o novo governo recém-formado chegou local.





Pelo menos três fortes explosões, como a primeira que você pôde ver no vídeo acima, foram ouvidas na tarde desta quarta-feira, 30, quando membros do gabinete do Iêmen desembarcavam. Nuvens de fumaça subiram do edifício do terminal, com relatos iniciais sugerindo que as explosões foram causadas por projéteis de morteiros ou mísseis.

Outra explosão ocorreu perto do Palácio Mashiq da cidade, fortemente fortificado, para onde membros do gabinete foram levados após o incidente no aeroporto. Não houve relatos imediatos de ferimentos ou mortes no segundo local da explosão.

Imagens do aeroporto compartilhadas nas redes sociais mostraram sangue, entulho e vidros quebrados espalhados perto do prédio do aeroporto e pelo menos dois corpos, um deles carbonizado, no chão. Em outra imagem, um homem foi visto tentando ajudar outro cujas roupas estavam rasgadas.

O ataque marca um começo turbulento para o novo governo de unidade do Iêmen, empossado na semana passada na Arábia Saudita. A remodelação foi projetada para consertar a cisão entre o governo internacionalmente reconhecido liderado pelo presidente, Abd Rabbu Mansour Hadi, e o separatista Conselho de Transição do Sul (STC), a organização atualmente responsável por Aden.

Acredita-se que vários oficiais do governo e funcionários da Cruz Vermelha estejam entre os mortos, com previsão de aumento do número total de vítimas.

Os danos ao aeroporto podem deixar o Iêmen com apenas um aeroporto em pleno funcionamento para 28 milhões de pessoas no país bloqueado, porém localizado a mais de 435 milhas (700 km) de distância de Aden, em Seiyun.

Naguib al-Awg, ministro da comunicação do Iêmen, que estava no avião do governo, disse à Associated Press que ouviu duas explosões e sugeriu que eram ataques de drones.

“Teria sido um desastre se o avião tivesse sido bombardeado”, disse ele, insistindo que o governo tinha sido o alvo do ataque, já que o avião deveria ter pousado antes.

Todos os membros do gabinete, incluindo o primeiro-ministro, Maeen Abdulmalik Saeed, e o embaixador saudita, Mohammed Said al-Jaber, foram transferidos com segurança para o palácio presidencial da capital interina, informou a mídia saudita.

Até agora não houve manifestação sobre qual das partes beligerantes do Iêmen foi responsável pelo ataque.

Com informações de Aeroin