O recém-eleito vereador, em Patos, Josmá Oliveira ( Patriota), cumprindo seu papel e já atuando como um membro do poder legislativo, vem de abraçar a causa dos pais de família, que tentam a volta das atividades escolares de seus filhos, afastados das salas de aula desde que foi declarada a quarentena, por conta da covid-19. 

Declarou o jovem empresário que não se concebe tanta hipocrisia por parte dos poderes públicos e responsáveis pelos setores educacionais da cidade, mantendo em casa os estudantes, enquanto dão liberdade para o exercício de outras atividades sociais de menor valor, destacando o caso da campanha política. "Ora, se pode fazer campanha política, passeatas, abrirem- se setores comerciais, entre outras atividades , mas não se pode planejar a volta dos estudantes às salas de aula? Alguma coisa está errada, e não quero que sejam os senhores pais de alunos, que não concebem tanto tempo de paralisação escolar, sem que se tenha planejado algo nesse sentido. O próprio MEC, responsável pela Educação no Brasil, já estipulou o mês de janeiro para reinício das aulas curriculares, obedecendo as normas de biossegurança, contra a propagação da covid-19. Acredito que, independente desse meu apelo, aliado ao dos pais que sentem o quanto seus filhos estão sendo prejudicados, há no próprio estudante o desejo de rever seus companheiros de estudo, sua escola e professores.  Baseado nesse fato é que temos que encontrar um meio de conviver com essa doença, observando todas as medidas de combatê-la, o que poderá sem menos mal do que a reclusão caseira, que já causa transtornos de ordem psicológica e onde a covid-19 chega de uma forma ou de outra".



Depois complementou Josmá:"Estivemos à frente dos comerciantes dos mercados públicos, do comércio varejista e de todos os locais em que nossa presença foi exigida. Agora é a vez de nos unirmos às famílias que querem a volta das aulas presenciais, que não oferecerão riscos maiores, se tudo for feito de acordo com as normas estabelecidas. Não será a centésima parte do que foi visto patrocinado pelos próprios responsáveis pelos órgãos institucionais da nossa cidade!" Já é hora de agirmos, a exemplo do que ocorre em outras regiões e em outras nações. De uma coisa poderemos ter certeza, não será pior do que ficarmos na passiva, sem agirmos ou procurarmos  soluções. Temos que repensar um modelo, onde se aliem o ensino a distância, aulas presenciais e conclusão do ano letivo em 2021, se for necessário. Há de se convir que os estudantes terão que repor sua carga horária, e não será com essas férias forçadas que eles irão fazer essa reposição. Também temos que levar em conta o lado emocional da criança, convivendo diariamente com a violência doméstica e afastada do seu meio educacional, longe de seus colegas. Tudo são fatores que devem ser levados em conta e discutidos com os setores direcionais do ensino, juntamente com os pais ou responsáveis pelos estudantes. Não se pode tomar medidas sem avaliação de suas aplicações. Mas medidas urgentes têm que ser tomadas. E sobre esse tema, nós estamos à disposição dos que lutam em defesa da educação em nosso cidade!"

Por Marcos Nogueira