Arte: Jefrey Coolidge/Getty

Ainda que cada mídia tenha seu poder, é impossível negar a força de nomes que comandam a audiência na internet

Todos os anos, o Ibope atualiza os seus números a partir do dia 1º de janeiro. Em 2021, 1 ponto de audiência equivale a cerca de 268 mil domicílios em quinze regiões metropolitanas do Brasil — a audiência nacional não é medida. Isso representa 716 mil pessoas por cada ponto assistindo a um determinado canal de televisão ao mesmo tempo.

Vamos dar um exemplo. Amor de Mãe era uma novela com excelente audiência para a faixa das 21h, com média de 30 pontos — número muito alto considerando os padrões da televisão hoje em dia. Isso quer dizer que cerca de 21 milhões de pessoas no Brasil assistiam a trama da Rede Globo.


Sabe quantas pessoas visualizaram a foto na qual Whindersson Nunes anunciou a gravidez da namorada, Maria Lina Deggan? 26 milhões. “Os Stories são um BBB. Acompanhamos a vida real das pessoas, às vezes ficamos uma hora assistindo – é como se fosse uma novela que fala um pouco sobre a vida de cada um”, comenta Fátima Pissarra, CEO da agência Mynd, que negocia artistas para marcas e campanhas publicitárias.

“É realmente uma audiência gigantesca. Principalmente quando você tem um influenciador com dois, três milhões de views em um Stories. Quando acontece algo diferente, tem alguma polêmica ou vai fazer algum tipo de anúncio, isso vai para 10, 15 milhões de pessoas assistindo. É como uma final de uma novela, a audiência sobe”, ressalta Fátima.

Foi o que aconteceu com Andressa Suita no anúncio da separação de Gusttavo Lima e com Virgínia Fonseca na divulgação da gravidez com Zé Felipe. Ambas têm uma média de 2 milhões de visualizações por Story, mas alcançaram picos de 5 milhões de views com o público sedento por saber mais detalhes de suas vidas.

Todas as mídias com seus horários nobres

“O mercado digital, a cada dia que passa, exige mais dos influenciadores para que eles se reinventem. Todo dia nasce um influenciador novo na internet, mas só sobrevive quem tem um conteúdo diversificado. Quem realmente se destaca são os mais autênticos e que não são repetitivos”, afirma Kaká Diniz, sócio da Non Stop.

Géssica Kayane é um dos grandes fenômenos da internet da atualidade. “A GKay começou com a gente com 150 mil seguidores. Hoje, já tem 12,8 milhões, só no Instagram. Ela é autêntica, verdadeira, e é isso que a internet gosta. Ganhou três milhões de seguidores em um mês, coisa que poucas pessoas conseguem”, pontua Kaká.

O empresário lembra também que o momento que estamos vivendo, de isolamento social, favorece os números tão expressivos dos influencers. “Durante a pandemia, houve um aumento de 40% no consumo de dados de internet no mundo. As pessoas estavam em casa e começaram a consumir mais as redes sociais”, diz ele.

Mas é importante ressaltar que a televisão e a internet são mídias diferentes e, por isso, têm públicos diferentes, ainda que em números estejam em proporções semelhantes. “Vemos o mesmo movimento, mas com um grupo de pessoas diversas; um pouco mais jovens, mais engajadas no digital”, explica Fátima.

“Ainda estamos expandindo a inclusão digital. Onde tem TV não necessariamente tem celular. Comparando percentualmente, temos pessoas que têm números muitas vezes maiores que o próprio horário nobre da TV. Mas é outra audiência. Cada um no seu espaço é gigante com seus horários nobres”, complementa ela.

Da coluna de Leo Dias em Metrópoles