Foto: iStock

A quantidade do vírus na boca está associada à gravidade da doença

Um estudo daUniversidade de Yale, nos EUA, sugere que a carga viral do SARS-CoV-2 presente na saliva pode ajudar a prevero desenvolvimento da doença no infectado, nomeadamente a gravidade e a mortalidade.Segundo o El País, os resultados da equipe liderada pela imunologistaAkikoIwasaki são apenas preliminares e ainda aguardamrevisão de pares.


A equipe analisou 154 pacientes com Covid-19 no hospital universitário da cidade de New Haven. A análise revelou que os níveis virais variam, de um mínimo em pacientes com sintomas leves, a um máximo em pacientes gravemente doentes e em pessoas que morreram de Covid-19. Os cientistas encontraram uma associação entre a carga viral elevada e fatores de risco conhecidos, como idade avançada, sexo masculino, câncer, insuficiência cardíaca, hipertensão e doenças pulmonares crônicas.

A equipe acredita que a saliva ajuda a prever a progressão da doença de forma mais eficaz do que azaragatoae argumenta que a última apenas reflete amultiplicação do vírus no trato respiratório superior, enquanto a saliva também mostra a situação nos pulmões.

Com informações de NM