Por Luiz Carlos Soares

“A Volta dos Que Não Foram” não é apenas um título de filme, é na verdade o título perfeito para muitos candidatos, a verdadeira descrição de quem tenta chegar ao poder e não tem nenhum projeto coletivo, apenas projeto individual.  Para os oportunistas, o desejo de servir sempre será mencionado a cada discurso, são elementos egoístas e mesquinhos e acima de tudo, mentirosos e covardes. 



“A Volta dos Que Não Foram”, resume a vida daqueles que cresceram não necessariamente em um ambiente político; mas também daqueles que cresceram sobre a sombra do favorecimento político, gente que cresceu aprendendo a pensar em si mesmo e ao buscar riqueza, viu na política a oportunidade de enriquecer e, desde cedo aprendeu que o mundo é dos espertos, e que para se dar bem na vida é preciso ser mais esperto que os outros. 

Acreditar em candidato mentiroso é o mesmo que comprar ingresso para assistir filmes do imaginário popular, “As tranças do Rei Careca”, “Poeira em Alto Mar”, “Incêndio na Caixa D’água” e o clássico e campeão de bilheteria “A Volta dos Que Não Foram”, não foram porque são mentirosos e se eleitos vamos assistir pelos próximos quatro anos, os filmes acima citados. 


* Luiz Carlos Soares é
Cientista Político