Foto: Pixabay

Taninos presentes no vinho conseguem inibir duas enzimas do vírus; estudo foi feito pela Universidade de Medicina da China

Um estudo realizado pela Universidade de Medicina da China (CMU, sigla em inglês), mostrou resultados positivos sobre tratamentos contra o novo coronavírus. De acordo com a emissora de televisão TVBS, de Taiwan, os taninos do vinho têm capacidade para impedir o desenvolvimento de duas enzimas, que são “peças-chaves” do vírus.

Os taninos possuem antioxidantes e atuam com efeitos antiinflamatórios. Segundo o presidente da CMU, Mien-Chie Hung, os taninos conseguem prevenir a infecção e controlar o avanço do vírus no organismo. 


O objetivo da pesquisa era identificar alguma composição natural que age sobre a SARS.

Hung ressaltou que daqui alguns anos uma droga com taninos da bebida pode ser criada para tratamento farmacêutico contra a COVID-19.

Ainda segundo o presidente, o consumo de alimentos e bebidas que contém taninos, como uvas, bananas, vegetais, chás e o próprio vinho, provavelmente contribui para uma melhor imunidade contra o coronavírus.

Ralph Assé*

*Estagiário sob supervisão do subeditor Eduardo Oliveira  para O Estado de Minas