Fonte: Andrea Piacquadio/Pixels

O excesso de álcool é prejudicial à saúde e intoxica o organismo. Enjoo, mal estar generalizado e dores no corpo são alguns sintomas

Já se sabe que beber demais é desaconselhado pelos médicos e faz mal à saúde. Patrícia Costa, clínica médica do Hospital Anchieta de Brasília, explica que passar do ponto na bebida causa intoxicação do organismo e uma série de sintomas desagradáveis, como dor de cabeça e enjoos.


De acordo com a especialista, a ressaca acontece porque o fígado só consegue metabolizar uma quantidade máxima de álcool. “Quando ele é consumido em excesso, ocorre o acúmulo de substâncias tóxicas no organismo, como o acetaldeído”, completa Patrícia.

Segundo a médica, os sintomas duram, em média, de seis a oito horas, mas podem permanecer até 24 horas após a bebedeira.

“Depois da ingestão, você pode sentir dor de cabeça, dor nos olhos, enjoo, mal estar, além de dores no corpo e no estômago, porque o álcool causa irritação na mucosa estomacal. Isso sem contar os sinais de desidratação, falta de apetite, tremores, suor e muito sono”, enumera Patrícia.

Alguns fatores influenciam na ressaca, como a quantidade, o tipo de bebida e até a genética e o sexo do indivíduo. Normalmente, de acordo com a especialista, as mulheres metabolizam menos o álcool do que os homens.

Para evitar a ressaca, a primeira providência, naturalmente, é beber menos. Mas, se for beber, é importante comer antes para estar com o estômago cheio. Além disso, é fundamental tomar muita água. A indicação é ingerir um copo de suco ou água para cada dose de destilado ou copo de chope.

“Também é recomendado continuar se alimentando junto com a ingestão da bebida”, orienta Patrícia Costa. “Isso ajuda a melhorar os efeitos do álcool no dia seguinte”.

O que comer para se recuperar da ressaca

Manter uma alimentação mais leve no dia seguinte à bebedeira é primordial para amenizar os sintomas da ressaca. Camila de Moura e Lima, professora de nutrição do Centro Universitário de Brasília (UniCeub), explica que o ideal é se alimentar com ingredientes de fácil digestão, como frutas, verduras e carnes leves, sempre preparados com pouca gordura. É preciso, também, caprichar na ingestão de água.

“Além disso, para facilitar o processo de recuperação, você pode comer alimentos como ovos e abacate, que são ricos em proteínas e gorduras de fácil digestão, além de possuírem substâncias que auxiliam na recuperação do organismo, fornecendo energia para ajudar o corpo na desintoxicação”, acrescenta Camila.

Outra dica da especialista é consumir sopas e sucos de frutas naturais, pois eles ajudam no processo de hidratação, além de fornecerem nutrientes que ajudam na reposição de potássio, sódio e magnésio.

Com informações de Metrópoles