A verba será fornecida por meio de linhas de crédito do BNDES, com o objetivo de diminuir os impactos causados pela pandemia

O Governo Federal vai destinar R$ 406 milhões em recursos para empresas do setor de eventos de cultura e entretenimento no país, que foi diretamente impactado pela pandemia do coronavírus.

O anúncio foi feito na manhã desta terça (9/2) pelo secretário Especial da Cultura, Mário Frias, e pelo secretário Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura da, André Porciuncula, durante a Assembleia Geral da Associação Brasileira de Promotores de Eventos (Abrape), realizada no hotel Hotel Royal, em Brasília.


De acordo com Porciuncula, os recursos serão destinados por meio de linhas de crédito do BNDES.

“A proposta é de que o acesso seja facilitado por fundos garantidores, com carência de dois anos, juros de 0,8%. É uma solução emergencial para que estas famílias que dependem do setor não fiquem sem sustento”, explicou.

O segmento está com as atividades completamente paralisadas pela pandemia e mais de 450 mil postos de trabalhos formais, entre diretos e indiretos, já foram exterminados.

O secretário de Fomento e Incentivo à Cultura disse ainda que a Abrape poderá ser parceira no processo, ampliando o número de empresas inseridas na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAES), que possam acessar os créditos. Adiantou também que a liberação deve ocorrer ainda neste primeiro semestre.

“Ficamos preocupados demais com este setor e construímos a ideia de fazer uma linha de crédito semelhante ao que lançamos para a área do cinema. Já conversei com o presidente e estamos pensando em outras soluções”, frisou Mário Frias.

Com reportagem de Fabíola Testi para Metrópoles