O entendimento de que há um agravamento da pandemia da Covid-19 na Paraíba foi o fator que ‘uniu’ as autoridades do estado, em reunião virtual ocorrida na tarde deste domingo (07), sob a liderança do governador João Azevêdo (Cidadania). Não houve, no entanto, consenso de todos quanto ao remédio a ser utilizado para combater o aumento das infecções por Covid-19.

Na ocasião, o Ministério Público Federal solicitou medidas mais duras no combate à pandemia, questionando inclusive a abertura de alguns estabelecimentos que de acordo com o decreto estadual não deveriam funcionar em determinados horários. “Todos pensam em medidas mais duras para combater a Covid-19, com uma exceção”, disse uma fonte ouvida pela reportagem.


O prefeito Bruno Cunha Lima (PSD), como já havia adiantado nas redes sociais, questionou a adoção de medidas mais duras na Rainha da Borborema, alegando que a cidade está cumprindo suas obrigações no combate à pandemia, não necessitando de novas restrições impostas pelo estado.

Também participaram do encontro um representante do prefeito Cícero Lucena, o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o secretário de saúde do estado, Geraldo Medeiros e representantes do Tribunal de Contas do Estado e dos Ministérios Públicos.

As autoridades devem se reunir novamente, nos próximos dias, para decidir oficialmente as novas medidas que serão anunciadas para as próximas semanas no estado, já que as medidas do decreto atualmente em vigor se encerram no próxima quarta-feira (10).

Com reportagem de Felipe Nunes para o Polêmica Paraíba