Foto: Reprodução

O presidenciável Fernando Haddad (PT) colocou o provável adversário Ciro Gomes (PDT) como um candidato de direita.

“A direita tem o Ciro, Moro, Mandetta, Huck, Dória, qual é o problema? Isso tudo tem um ano e meio para se discutir. Não faz sentido inibir uma pessoa de se apresentar e conversar com a sociedade”, disse Haddad em entrevista à rádio Bandnews de Manaus (AM) nesta terça-feira 2.


“Para derrotar o Bolsonaro temos que ter um pacto de todo mundo que é oposição ao apoiar quem for para o segundo turno. Esse é o pacto que tem que ser feito. E não o que foi feito em 2018, quando cada um foi para um lado e deixou o Bolsonaro ganhar”, acrescentou.

Recentemente, Ciro afirmou que pretende construir uma aliança em torno de seu nome, com “forças que me são diferentes”.

“Quero sinalizar minha vontade de alargar o diálogo, porque o Brasil necessita de um novo consenso. E aí aparece o DEM, com todas as suas contradições internas e comigo, e o PSD, com contradições mais comigo do que internas. E daí? Quero que isso seja feito à luz do dia, de forma transparente”, declarou Ciro em entrevista à Folha de S.Paulo.

O diálogo com o PT, no entanto, não prosperou. “Nesse quadro de hiperfragmentação, quem for contra o Bolsonaro no segundo turno tem tendência de ganhar a eleição. O menos capaz disso é o PT. Por isso, a minha tarefa é necessariamente derrotar o PT no primeiro turno”.

Com informações de CartaCapital