Foto: Moskow/Getty Images

Folha muito comum tem vários benefícios para estômago, intestino e fígado, e pode até ser usado em banhos de imersão para relaxamento

Uma das plantas medicinais mais tradicionais do Brasil, o boldo é conhecido pelas suas propriedades digestivas e hepáticas. Porém, a folha é versátil, e pode ser usada até para relaxamento, ou em bebidas detox: o boldo é diurético, anti-inflamatório e antioxidante.

As duas espécies mais utilizadas são o boldo do Chile ou boldo verdadeiro, e o boldo brasileiro, boldo da terra ou falso boldo, amplamente cultivado e encontrado no Brasil.


Embora tenha diversos benefícios para a saúde, o uso do boldo também pode causar efeitos colaterais. Por isso, deve ser sempre feito com orientação de um médico ou outro profissional de saúde que tenha experiência com o uso de plantas medicinais.

Os principais benefícios dependem da espécie do boldo utilizada e incluem:

1. Estimular o funcionamento do fígado

A boldina, um alcalóide presente especialmente no boldo do Chile, e a forscolina presente no boldo brasileiro, estimulam a produção da bile pela vesícula biliar, ajudando o fígado a trabalhar melhor. Estas espécies de boldo são muito úteis em casos de problemas do fígado que causam sintomas de dor de cabeça, suor frio e mal estar.

2. Melhorar a digestão

O boldo ajuda a melhorar a digestão principalmente quando tomado na forma de chá antes das refeições. Além disso, a boldina melhora a ação da bile liberada no intestino, auxiliando na digestão de gorduras e, assim, aliviando a má digestão.

3. Auxiliar no tratamento da gastrite

Os alcalóides presentes no boldo ajudam a controlar os ácidos do estômago e podem ser eficazes no tratamento da gastrite. Além disso, as propriedades adstringentes do boldo reduzem a acidez do estômago e diminuem a azia.

4. Aliviar os sintomas da intolerância alimentar

O boldo tem propriedades digestivas, anti-inflamatórias e anti-espasmódicas que podem ajudar a aliviar os sintomas de algumas intolerâncias alimentares como má digestão, cólicas intestinais e produção excessiva de gases.

5. Melhorar o funcionamento do intestino

Os alcalóides presentes no boldo agem como relaxante intestinal regulando o funcionamento do intestino. Essa função ajuda a diminuir os casos de prisão de ventre. Além disso, o boldo reduz a produção de gases intestinais, dando a sensação de barriga lisa, e auxilia o tratamento de vermes e infecções intestinais.

6. Eliminar fungos e bactérias

O boldo pode auxiliar a eliminar bactérias como:

Além disso, o óleo essencial do boldo do Chile tem atividade antifúngica principalmente contra a Candida sp, que pode causar micose de pele. No entanto, o boldo não deve substituir nenhum antibiótico e só deve ser usado com conhecimento médico.

7. Ter ação antioxidante

O boldo possui compostos fenólicos na sua composição, como polifenóis e alcalóides, principalmente a boldina no boldo do Chile, o ácido rosmarínico e a forscalina presentes no boldo brasileiro, que possuem ação antioxidante, combatendo os radicais livres e reduzindo os danos nas células. Assim, o boldo ajuda a prevenir e combater doenças associadas ao stress oxidativo causado pelos radicais livres, como a aterosclerose.

8. Melhorar a ressaca

O boldo ajuda a depurar o acetaldeído, uma substância produzida pelo fígado após o consumo de álcool e o principal responsável pelos sintomas de ressaca, como boca seca, dor de cabeça e mal estar geral. Além disso, a boldina age como protetor do fígado, ajudando a restabelecer esse órgão.

9. Ter efeito calmante

O boldo é uma planta aromática, com cheiro parecido ao da hortelã, tendo efeito calmante e relaxante quando usado na forma de chá ou banho de imersão.

Como usar o boldo

O boldo pode ser consumido na forma de chá ou suco usando as folhas frescas do boldo brasileiro ou as folhas secas do boldo do Chile (compradas em farmácias de produtos naturais ou ervanárias, já que esse tipo de boldo não é cultivado no Brasil). O chá de boldo pode ser preparado imediatamente antes de tomar e as folhas não devem ser fervidas junto com a água, para evitar o sabor amargo forte dessa planta.

Chá de boldo: adicionar 1 colher de chá de folhas de boldo picado em 150 mL de água fervente. Deixar descansar por 5 a 10 minutos, coar e tomar morno logo em seguida. O chá de boldo pode ser tomado de 2 a 3 vezes ao dia, antes ou após as refeições. Outra opção é tomar uma xícara antes de dormir para ajudar a digestão após o jantar e ter uma noite de sono tranquilo;

Suco de boldo: adicionar 1 colher de chá de folhas de boldo picado em 1 copo de água gelada e meio copo de suco de limão. Bater no liquidificador, coar e beber em seguida.

Outra forma de usar o boldo é em banhos de imersão para acalmar e melhorar sintomas de cansaço e estresse, pois o aroma é semelhante ao da hortelã, causando sensação de bem-estar. Neste caso, pode-se ferver 1 litro de água com algumas folhas de boldo durante 15 minutos e, em seguida, jogar o chá na água da banheira e ficar imerso por aproximadamente 10 minutos.

Possíveis efeitos colaterais

O boldo é seguro para a maioria dos adultos quando consumido por curto período de tempo. Entretanto, em quantidade excessiva ou por mais de 20 dias, pode causar intoxicação no fígado, náuseas, vômitos e diarreia. Além disso, o boldo pode causar aumento de contrações uterinas e aborto e causar má formação no bebê, principalmente se consumido no primeiro trimestre da gravidez.

Quem não deve usar

O boldo não deve ser usado por bebês, crianças, mulheres grávidas ou em amamentação e pessoas com hepatite aguda, pedra na vesícula, inflamação das vias biliares, pancreatite, câncer de fígado ou da bile. Caso suspeitar de gravidez, recomenda-se que, antes de usar o boldo, seja feito um teste, pois o boldo pode causar aborto pelo aumento das contrações uterinas.

O boldo não deve ser usado para tratar a infecção pelo novo coronavírus, pois não existem estudos que comprovem a ação antiviral do chá..

É importante usar a planta sob orientação de um médico, fitoterapeuta ou de um profissional de saúde com conhecimentos específicos em plantas medicinais. (Com informações do portal Tua Saúde)