Mais uma linda sequência de imagens de um imponente jato executivo foi publicada nesta última semana pelo canal Viracopos FullHD do YouTube, mostrando o pouso e a decolagem do enorme Global Express pertencente à rede de lojas Havan.

Esta não é a primeira vez que trazemos aqui aos leitores do AEROIN uma gravação de um jato deste modelo, uma vez que é sempre muito bonito vê-lo operando, dado seu tamanho e também sua beleza.



Como se nota no vídeo acima, trata-se do pouso e depois também da decolagem do avião registrado sob a matrícula PP-LHG, um Bombardier BD-700-1A10, mais conhecido pela designação comercial Global Express ou Global 6000.

Segundo dados do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), este exemplar foi fabricado em 2018 com número de série 9848, e tem identificado como seu operador “Havan Lojas de Departamentos LTDA”.

A operação se dá no Aeroporto Campo dos Amarais, na cidade de Campinas (SP), também conhecida por sediar o Aeroporto Internacional da Viracopos, que é base da Azul Linhas Aéreas e uma grande referência na movimentação nacional e internacional de grandes aviões cargueiros.

O Global Express, como vimos anteriormente aqui no AEROIN, é um jato de 11.000 km de alcance (com isso, voa de São Paulo sem escala para qualquer capital da Europa, por exemplo) e de notáveis 30,3 metros de comprimento e 28,7 metros de envergadura, ou seja, de dimensões semelhantes aos aviões E-Jets da Embraer. Seu peso máximo de decolagem é de expressivas 42,4 toneladas.

Seu custo de operação, segundo o AirCharter Advisors, para um total de 200 horas de voo anuais (cerca de 16 horas por mês) é de cerca de US$ 1,4 milhão (R$ 7,1 milhões na conversão atual da moeda), incluindo custos fixos de cerca de US$ 655 a 715 mil e custos operacionais / variáveis de cerca de US$ 775 mil. Ou seja, cerca de US$ 116 (R$ 591) a cada minuto de voo para esta referência de uso anual indicada.

No vídeo, além da beleza do próprio pouso de um jato deste porte, a decolagem também chama atenção pela característica subida de alto desempenho do Global, ganhando altura “como um foguete” rumo ao céu, especialmente em uma situação como essa, com pouco peso por estar decolando em um voo de curto alcance.

Com informações de Aeroin