Segurados podem fazer prova de vida pelo aplicativo ou pelo site Meu INSS, se tiverem biometria facial dadastrada no TSE ou no Detran FOTO: JORGE WILLIAM

Aposentados, pensionistas e demais segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que acessarem a plataforma Meu INSS vão encontrar um formato novo no aplicativo e na página na internet. Duas mudanças merecem destaque: a confirmação de recebimento de carta de concessão e a prova de vida por biometria. É importante destacar que, para acessar esse portal, é necessário criar login e senha.


Para Adriane Bramante, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), a plataforma parece mais funcional e fácil de acessar.

— A nova formulação do Meu INSS vai evitar algumas ligações para a Central de Atendimento 135 ao fornecer alguns serviços que antes só estavam neste canal — diz Adriane: — Por exemplo, quem recebeu a carta para se aposentar por idade, antes tinha que ligar para o 135 para confirmar o recebimento, mas agora pode fazer isso também pelo site.

Os segurados que tiveram benefícios suspensos ou cessados por falta de prova de vida agora poderão realizar a comprovação pela plataforma. Para ter acesso ao serviço, é preciso ter a biometria facial já cadastrada nos bancos de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e dos Departamentos de Trânsito (Detrans).

De acordo com o governo, ao fazer a prova de vida pelo Meu INSS, o benefício é reativado na hora, sem precisar sair de casa. Segundo o instituto, Isso evitará que essas pessoas precisem ir ao banco ou a uma agência da Previdência Social para voltarem a receber seus pagamentos.

Além de expandir a prova de vida por biometria facial para esse novo grupo, o Meu INSS também atualizou as mensagens de orientação para quem ainda não pode realizar o recadastramento por selfie

Telas diferenciadas

As telas principais do Meu INSS agora são diferenciadas para cada tipo de pessoa: aposentados e pensionistas veem em destaque, na primeira página, informações como número do benefício, tipo de benefício, valor e data prevista para o pagamento.

O INSS informa que os serviços em destaque também são personalizados, mostrando os mais buscados por quem já tem benefício, como carta de concessão e extrato de pagamento, que é o equivalente ao contracheque. No documento, estão listados créditos e descontos feitos no pagamento.

Quem ainda não tem benefício encontra um ambiente diferente. No topo da tela, em destaque, está o simulador de aposentadoria, que permite ao trabalhador conferir quanto tempo falta para pendurar as chuteiras.

Outro documento — primordial para quem trabalha — é o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS). Neste sistema, estão entradas e saídas de empresas, recolhimentos e contribuições. Com base nas informações deste banco de dados, é concedida a aposentadoria.

Adriane Bramante, chama a atenção para a conferência deste cadastro:

— Mesmo com essa facilidade (de acesso ao portal), é importante que o segurado confira se o tempo e o salário de contribuição estão de acordo com a realidade. Algumas vezes, faltam informações no CNIS, e o benefício é concedido de forma errada.


Com informações de Extra