É fato que o Terceiro Batalhão de Polícia de Patos, sob comando do TC. Rômulo, há muito desenvolve um trabalho digno de elogios por parte da ampla sociedade patoense. A prova disso é a acentuada diminuição de crimes graves na cidade, gerando mais traquilidade por parte da população.
E por conta dessa permanente vigilância, alguns militares já foram alvo de homenagens por parte da Câmara de Vereadores, tendo o parlamentar Josmá Oliveira como um dos que reconhecem esse ofício e que requereu votos de aplausos e até medalhas de mérito profissional.



E sobre o assunto, disse ele: "A polícia, em si, deve ser uma instituição que devemos zelar com todo o carinho. São esses militares, com baixo soldo e pouco estímulo, que garantem a nossa segurança, a tranquilidade de nossos lares e que nos socorrem em momentos difíceis, com o risco da própria vida. Eles que, literalmente, saem de casa, diariamente, sem saber se voltarão. E a prova disso foi o que ocorreu com o policial Messias, assassinado covardemente por meliantes pertencentes a facções criminosas, na cidade de Malta. Mas, embora o acontecimento trágico, um contigente policial , tendo à frente o coronel Campos, conseguiu localizar e prender a perigosa quadrilha.
Entretanto, em que pesem esses atos heróicos, ainda existe jornalista capaz de divulgar mentiras em suas redes sociais, numa nítida demonstração de ódio a essa classe e também por completa incapacidade de pertencer à classe do jornalismo, de ser jornalista, profissão cheia de homens e mulheres honrados e de qualidade, mas existindo essas exceções. Aos agentes da lei, os nossos parabéns; a esses donos de blogs, que não têm decência ou sentimento, a nossa eterna repulsa. Aqueles, os policiais, merecem o nosso apreço; esses, os pseudo  profissionais de imprensa, merecem a nossa indignação. E que a chefia do Terceiro Batalhão de Polícia de Patos tome as medidas cabíveis, para que abusos, como o que ocorreu na notícia divulgada a respeito da atuação de policiais, que combatiam bandidos na rua Elias Asfora,  não mais se repitam. Na oportunidade, um "jornalista" divulgou  que os marginais haviam sido brutalmente mortos,  quando, na verdade,  um crime estava sendo combatido, e evitado, por parte desses homens que vivem basicamente para servir a todos nós!"




Da Assessoria