O medo de efeitos colaterais das vacinas contra a Covid-19, como a trombose, tem levado ao consumo de anticoagulantes e antitérmicos por algumas pessoas antes de serem vacinadas. Especialistas alertam do risco dessa pratica, uma vez que o perigo de complicações são maiores para quem toma esses medicamentos sem acompanhamento médico do que as próprias reações aos imunizantes.




De acordo com infectologista Gustavo Johanson, as chances do paciente imunizado desenvolver uma trombose venosa são extremamente baixas. Além disso, o uso de anticoagulantes de forma preventiva pode trazer mais riscos do que benefícios.

“O principal risco do uso desses ‘medicamentos preventivos’ é o sangramento. Obviamente que esse risco também não é alto, mas se nós compararmos com o risco da trombose ocasionada pelas vacinas da Covid-19 é muito maior”, explica.

Estimativas apontam de que há um a quatro casos de trombose envolvendo vacinas da Jansssen e AstraZeneca a cada um milhão de doses aplicadas. Como comparação, no mundo, a incidência de trombose, no geral, é de mil casos a cada um milhão de pessoas.

Além dos anticoagulantes, outros medicamentos também têm sido utilizados para prevenir reações adversas das vacinas, como os antitérmicos. Médicos alertam que a automedicação é perigosa até para os remédios que parecem mais inofensivos. As reações aos imunizantes, no geral, são leves e não se estendem por mais de um dia.

“Até hoje não existe, cientificamente comprovada, evidência de que haja algum tipo de benefício desse tipo de medicação pra quem vai tomar vacina. Teve dúvida? vai no médico e conversa com ele”, diz Wagmar Barbosa de Souza, coordenador interno de comunicação do CRESMESP (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo).

O que é a trombose?

A trombose acontece quando um coágulo se forma e impede a circulação do sangue pelos vasos sanguíneos. Os anticoagulantes afinam o sangue para facilitar essa passagem, o que pode causar sangramento nos órgãos internos, no nariz e na gengiva.

Veja mais na reportagem que foi ao ar esta terça-feira (20) no Jornal da Tarde.


Com informações da TV Cultura