Uma influenciadora chinesa morreu na última terça-feira, 27, enquanto produzia um conteúdo para as redes sociais em cima de um guindaste a 50 m de altura. Xiao Qiumei fazia sucesso no aplicativo Douyin, versão permitida do TikTok [que é proibido pelo governo da China] no país, e era quem operava a máquina no trabalho. Ela era mãe de duas crianças e tinha mais de 100 mil seguidores no App.


Autoridades divulgaram que a jovem estava sem equipamentos de segurança, como cinto e capacete, para gravar o vídeo. Testemunhas disseram que ela estava filmando quando, possivelmente, pisou em falso e caiu, com o celular ainda em mãos.

O jornal The Sun divulgou as imagens feitas por Xiao Qiumei antes de morrer. Ela aparece fazendo selfies e uma dancinha típica do TikTok (e de suas variantes). Abaixo, é possível ver as gravações na íntegra. ALERTA: pode conter gatilho para algumas pessoas.




Na última década, de acordo com levantamento realizado pelo site Inkifi, ao menos 330 pessoas morreram fazendo as chamadas selfies perigosas, ou seja, que colocam vidas em risco: em cima de prédios, em penhascos, em trilhos de trem, em guindastes... Para se ter uma ideia da gravidade da situação, no mundo de hoje, selfies são cinco vezes mais mortais que ataques de tubarão, segundo o Journal of Family Medecine and Primary Care. Apesar de às vezes parecer que sim, não vale tudo por curtidas e visibilidade. As redes são uma ilusão, sua vida não. 


Com informações Cappicho