As autoridades afegãs confirmaram na quinta-feira (19/8) que um jovem jogador de futebol morreu após tentar fugir em um avião militar dos EUA que decolava do aeroporto de Cabul, capital do país.
Zaki Anwari, de 19 anos, tinha passagem pela seleção de base do Afeganistão.

Nenhum outro detalhe da morte do jovem foi divulgado.

Desde que o Talebã retomou o controle no Afeganistão, milhares de pessoas ocuparam a pista do aeroporto de Cabul na tentativa de deixar o país em um dos voos de países ocidentais que resgatavam seus cidadãos e colaboradores afegãos.

Imagens que circularam na segunda-feira (16/8) mostram centenas de pessoas correndo ao lado de um avião militar dos EUA, enquanto ele taxiava pela pista do aeroporto. Algumas tentavam subir na fuselagem da aeronave.



A imprensa local noticiou que pelo menos duas pessoas morreram após cair do avião quando ele já havia decolado. A Força Aérea americana confirmou que restos mortais foram encontrados no trem de pouso depois que a aeronave aterrissou no Catar.

A Direção Geral de Educação Física e Esportes do Afeganistão prestou homenagem a Anwari em uma declaração publicada no Facebook:

"Que ele descanse no céu, e vamos orar por sua família, amigos e companheiros no esporte."

Muitos usuários também manifestaram seu respeito pelo jogador nas redes sociais.

"A partida dele é uma dor muito grande", escreveu um usuário no Instagram. "Sempre me lembrarei de você com carinho", acrescentou.

Cerca de 4,5 mil militares dos EUA assumiram o controle do Aeroporto Internacional Hamid Karzai, em Cabul.

O Talebã está bloqueando o acesso ao aeroporto a todos aqueles que não possuem documentos de viagem, mas há diversas denúncias de que mesmo aqueles com documentação em ordem estão sendo impedidos de entrar.

Em meio às cenas de caos, o presidente dos EUA, Joe Biden, defendeu sua decisão da retirada das tropas americanas.

"A ideia de que poderia ter havido alguma maneira de sair sem o caos, não sei como isso poderia ter acontecido", disse ele em entrevista à rede ABC na quarta-feira (18/8).

Biden afirmou que as tropas americanas só podiam permanecer no Afeganistão até 31 de agosto, data que foi acordada com o Talebã como prazo limite para concluir a missão de retirada.

Com informações da BBC Brasil