O Exército americano destruiu aviões, blindados e um sistema de defesa antimísseis antes de deixar o aeroporto de Cabul, na madrugada desta terça-feira, informou o chefe do comando central do Exército americano, general Kenneth McKenzie.

Os soldados "desmilitarizaram" 73 aviões antes do encerramento da ponte aérea de duas semanas com a qual retiraram civis que fugiam do regime talibã. "Esses aparelhos não voltarão a voar, não poderão ser usados", afirmou.


O Pentágono mobilizou 6 mil soldados para ocupar e manter o funcionamento do aeroporto de Cabul desde 14 de agosto, mas deixou no local 70 veículos blindados resistentes a minas terrestres, que valem 1 milhão de dólares cada, e 27 Humvees. Todos foram inabilitados, segundo McKenzie.

O Exército americano também deixou para trás o sistema de defesa antimísseis que deteve hoje cinco foguetes disparados pelo grupo Estado Islâmico contra o aeroporto. "Decidimos deixar esses sistemas funcionando até o último minuto", pouco antes da decolagem do último avião, indicou o comandante.



Com informações de AFP