"Estou falando seriamente: intensificar a oração e praticar o jejum, pedindo ao Senhor misericórdia e perdão." De modo particular, o Papa se dirigiu aos cristãos para que não fiquem indiferentes aos acontecimentos no Afeganistão

Vatican News

“Não podemos ficar indiferentes!”

O Papa Francisco foi contundente ao falar do Afeganistão, neste domingo, ao final da oração do Angelus.

O Pontífice afirmou que acompanha com grande preocupação a situação no país e é partícipe do sofrimento das pessoas que perderam familiares e amigos nos ataques suicidas da quinta-feira passada, e também das pessoas que buscam ajuda e proteção.

Francisco confiou à misericórdia de Deus os mortos e agradeceu a quem trabalha para ajudar a “população tão provada”, em especial as mulheres e as crianças.

O apelo do Papa é para que se continue a assistir os necessitados e a rezar para que o diálogo e a solidariedade levem a estabelecer uma convivência pacífica e fraterna, oferecendo esperança para o futuro do país.

“Em momentos históricos como este, não podemos permanecer indiferentes: a história da Igreja nos ensina isto. Como cristãos, esta situação nos compromete. Por isso, dirijo um apelo a todos para intensificar a oração e a praticar o jejum: oração e jejum, oração e penitência. Este é o momento para fazê-lo. Estou falando seriamente: intensificar a oração e praticar o jejum, pedindo ao Senhor misericórdia e perdão."


Com informações do Vatican News