Com o avanço do número de casos da variante Delta, o Ministério da Saúde decidiu iniciar o calendário da terceira dose da vacina contra a Covid-19. A Pasta definiu que o imunizante seria aplicado a partir do dia 15 de setembro, mas alguns Estados anteciparam a data e já estão aplicando a terceira dose.

De acordo com a Pasta, devem tomar a terceira dose idosos com mais de 70 anos que completaram o esquema vacinal há mais de seis meses e pessoas com baixa imunidade (os chamados imunossuprimidos) que tomaram a segunda dose há ao menos 28 dias.


O ministério ainda não divulgou a lista das pessoas com baixa imunidade, mas vale lembrar que na primeira etapa da vacinação pelo País, estavam entre os imunossuprimidos:

- Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea;

- Pessoas com HIV e CD4 <350 células/mm3;

- Pessoas com doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticoide e/ou ciclofosfamida;

- Pessoas em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias;

- Pessoas com neoplasias hematológicas;

- Pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses

O Ministério da Saúde aconselha que os pacientes imunossuprimidos devem ser vacinados quando a doença estiver controlada ou em remissão como também em baixo grau de imunossupressão ou sem imunossupressão, preferencialmente.

Destaca ainda que a decisão da revacinação nos pacientes devem ser individuais, levando em consideração algumas coisas como faixa etária, a doença de base, os graus de atividade e imunossupressão, além das comorbidades, e que seja feita preferencialmente sob orientação de médico especialista.

Semana passado durante o anúncio da terceira dose, o ministério afirmou que o reforço deveria ser feito preferencialmente Pfizer, mas também poderão ser utilizadas a vacina da AstraZeneca e Janssen.


Com informações de Isto É