Ainda segundo Dr. Ramonilson Alves, uma forma de amenizar a problemática na qualidade de saúde seria as UBS oferecerem um atendimento melhor à população

O juiz aposentado Dr. Ramonilson Alves esteve visitando o Lixão de Patos, nesta segunda-feira (27) para averiguar a situação do incêndio que mais uma vez atingiu o local. Na oportunidade, ele gravou um vídeo em que critica a permanência do lixão e a falta de gestão da saúde no município.

De acordo com o ex-juiz, o dinheiro para a construção do aterro sanitário de Patos estava nas contas da prefeitura, mas os valores não foram aproveitados para resolver a problemática do lixo em Patos, que vem causando danos à saúde do povo até os dias de hoje.


“Mais uma vez, chegado o mês de setembro, temperaturas elevadas, desde ontem e hoje, crianças e idosos, toda a população consumindo, respirando fumaça, fuligem, poluição, advindas de mais um incêndio no Lixão da cidade. Lembro que, desde 2012, estavam depositados nas contas do município 38 milhões de reais para a construção do aterro sanitário e resolver este problema dramático. Houve um problema com a licitação, uma empresa ganhou, a outra questionou, e qualquer prefeito em vez de olhar para a empresa, deveria dizer cancela a licitação, aproveita o dinheiro que estava na conta e resolve o problema. Não foi isso que ocorreu. Lembrando que naquela altura estava no poder o mesmo grupo que hoje administra a cidade de Patos. Resultado: há mais de uma década vivemos este problema, que já deveria ter sido resolvido”, declarou ele.

Publicidade

Ainda segundo Dr. Ramonilson Alves, uma forma de amenizar a problemática na qualidade de saúde seria as UBS oferecerem um atendimento melhor à população. Mas, segundo ele, este é outro problema dramático que existe em Patos.

“Um alívio seria o bom funcionamento das Unidades Básicas de Saúde, que, infelizmente, também não ocorre. Das mais de 40 que existem, menos de 20 têm médicos. Então, mais uma vez, a população padece, por falhas, defeitos e má gestão na administração pública de Patos. Isso é inaceitável. A população não pode aplaudir esse tipo de postura”, finalizou.

No mês de outubro do ano de 2019, o MPF reuniu órgãos para discutir queimadas em lixão e construção do aterro sanitário de Patos (PB).

Veja na matéria do blogdonegreiros1.com de 11/10/2019:

O Ministério Público Federal (MPF) reunirá órgãos para discutir as constantes queimadas no lixão de Patos (PB) e as providências para a construção do aterro sanitário do município. Participarão do encontro, que será realizado na próxima terça-feira (15), a partir das 14 horas, além de representantes do MPF, integrantes do Ministério Público Estadual (MPPB), Prefeitura Municipal de Patos, Polícia Militar Ambiental, Guarda Municipal, Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A reunião será realizada na sede do MPF em Patos.

Há sentença transitada em julgado determinando a implementação do aterro sanitário no município, mas a prefeitura ainda não lançou edital convocatório de empresa para iniciar as obras. A intenção do MPF com a reunião é buscar soluções e evitar adoção de medidas drásticas, como o pedido de bloqueio de verbas públicas, por exemplo, já que a Prefeitura de Patos vem passando por grave crise.

Inquérito Civil nº 1.24.003.000290/2017-21

Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República na Paraíba


Veja também:

 

Veja o vídeo:


Com informações de Patosonline e complemento do blogdonegreiros1.com