A tragédia aérea desta tarde em Minas Gerais pode ter um indicativo de causa, já que foi confirmado que houve colisão do avião com a rede elétrica.

O acidente com o avião Beechcraft King Air C90A de matrícula PT-ONJ vitimou 5 pessoas na região rural de Caratinga, no leste de Minas. Dentre as vítimas estava a cantora sertaneja Marília Mendonça, além de dois membros de sua equipe e os dois pilotos.


A aeronave caiu durante a aproximação para pouso no Aeroporto Regional de Ubaporanga, ao lado da cidade mineira onde a cantora iria realizar um show nesta noite de sexta-feira. O local da queda é uma cachoeira que fica no rumo da pista do aeroporto, cerca de 2 km antes da cabeceira.

Publicidade

Desde o início, relatos de moradores da região apontavam que o turboélice tinha colidido com a rede elétrica, já que povoados próximos ficaram sem energia ou tiveram um pico de luz exatamente quando o avião caiu.

Logo depois, surgiram imagens (acima) dos fios que ficam à margem da rodovia MG-474, que liga Caratinga a Piedade de Caratinga. Eles são de alta tensão e de responsabilidade da CEMIG, companhia de energia do estado.

Publicidade

A CEMIG confirmou em nota oficial ao G1 que os fios foram rompidos pela aeronave, que teria perdido controle após a colisão com os cabos de alta tensão. 

O vídeo abaixo que circula nas redes sociais mostra um avião sobrevoando o local da queda antes de seguir para o pouso no mesmo aeroporto, e dá uma noção da topografia da região:


Pilotos que operam com frequência em Caratinga relataram ao AEROIN que a região requer atenção na operação, devido à quantidade de morros. A maneira mais praticada para aproximação no local seria vindo do oeste, o que não teria ocorrido hoje.

Uma imagem do Flight Simulator mostra a posição de uma das torres dos fios de alta tensão e a perspectiva do aeroporto ao fundo:


Já os mapas abaixo, gerados pelo Google Maps e Google Earth, mostram o aeroporto, o local da queda (marca vermelha) e a posição aproximada por onde os fios passam (marca amarela):



O CENIPA – Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos – já informou que está investigando o caso, e que nenhuma hipótese foi descartada até o momento.


Com informações do Aeroin