Estudo do hospital A.C.Camargo Cancer Center descobriu que 4.191 brasileiros morreram em decorrência do câncer no pênis entre 2008 e 2018 no país. Média de mais de 400 mortes por ano. 

O levantamento elaborado pelo A.C.Camargo Cancer Center, referência no tratamento de câncer no Brasil, analisou dados do DATASUS (Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde). 

Fora os 4.191 óbitos que o câncer peniano causou, o levantamento também constatou que mais de 5.500 cirurgias de amputação de pênis (penectomia) foram realizadas no mesmo período de análise.

Publicidade 


A pesquisa apontou que as maiores taxas de mortalidade pertencem aos estados do Norte e do Nordeste do Brasil. Do total das amputações, o estudo também mostrou que 20% foram feitas em pessoas com idades inferiores a 50 anos. 

Prevenção

“Este tipo de câncer não deveria existir; é totalmente evitável com ações de prevenção”, afirmou Éder Silveira Brazão Junior, urologista do A.C.Camargo Cancer Center, ao portal Tecmundo. 

Publicidade

De acordo com o especialista, a falta de higiene peniana é a principal responsável pela incidência de câncer no pênis. Os fatores de baixo nível sociocultural e baixa escolaridade contribuem para a falta de higiene por parte das vítimas.


Vale ressaltar que não higienizar adequadamente a região íntima pode gerar infecções generalizadas, não apenas na região, mas no corpo todo, além de provocar sangramentos e diversos outros problemas. 


Quanto mais precoce é identificado, maiores são as chances de tratamento e resolução dessas doenças, inclusive a do câncer peniano.


Para mais informações  clique aqui.


Com informações de Isto É