Um avião turboélice de passageiros ultrapassou o final de uma pista porque seu sistema de frenagem foi comprometido por sensores antiderrapantes conectados incorretamente, determinou o National Transportation Safety Board (NTSB) em uma reunião realizada nesta última terça-feira, 02 de novembro.

Publicidade

Em 17 de outubro de 2019, o voo 3296 da PenAir, executado por um turboélice Saab SA-2000, saiu ao final da pista (“runway overrun”) durante uma tentativa de pouso em Unalaska, no estado do Alasca, nos Estados Unidos. 

O avião colidiu com a cerca do perímetro, cruzou uma estrada e parou nas rochas costeiras à beira do porto holandês.

Publicidade

O vídeo a seguir mostra o momento do acidente, captado por uma câmera de segurança, em que, infelizmente, um passageiro foi morto, outro ficou gravemente ferido e oito sofreram ferimentos leves, estes principalmente durante a evacuação. 

A tripulação e os outros 29 passageiros saíram ilesos. Embora ainda não tenha sido detalhado o motivo da morte, pás da hélice esquerda perfuraram a fuselagem, possivelmente atingindo a vítima. O relatório final deverá apontar mais informações.


“Embora o avião, o piloto, o clima e a supervisão federal tenham desempenhado um papel nessa tragédia, era totalmente evitável”, disse a presidente do NTSB, Jennifer L. Homendy. 

“O sistema de freio deveria ter sido projetado para proteger contra erro humano durante a manutenção, o piloto não deveria ter pousado em uma pista com um vento de cauda tão forte e os reguladores federais deveriam ter considerado as dimensões da área de segurança da pista ao autorizar a companhia aérea a voar no Saab 2000 naquele aeroporto.”

Um exame pós-acidente do avião revelou que os sensores do sistema antiderrapante haviam sido instalados incorretamente durante uma revisão do trem de pouso principal esquerdo. Esta configuração levou à derrapagem e estouro de um pneu e à subsequente libertação da pressão do freio em duas das três rodas restantes.

Os investigadores determinaram que a perda de frenagem efetiva em três das quatro rodas principais do trem de pouso impediu que os pilotos pudessem parar o avião ainda na área da pista.

O local do acidente, destacado pelo círculo vermelho – Imagem: Google Earth
Imagem: Departamento de Segurança Pública de Unalaska


Observando que os sistemas devem ser projetados para evitar erros humanos que podem ocorrer durante a manutenção, o NTSB recomendou que a Saab redesenhasse a fiação do sensor de velocidade da roda do trem de pouso para reduzir a probabilidade de uma instalação incorreta da fiação durante as operações de manutenção.

Como o comandante optou por pousar em uma pista com um vento de cauda relatado que excedia o limite operacional do fabricante do avião, o pouso ocorreu com uma velocidade em solo superior ao que seria normal. O NTSB disse que a decisão de pousar com esse vento de cauda foi “intencional, inadequada e indicativa de viés de continuação do plano.”

O NTSB também descobriu que quando a Federal Aviation Administration (FAA) aprovou a PenAir para voar de/para o aeroporto de Unalaska com o Saab 2000, eles não reconheceram que a área de segurança além do final da pista não estava em conformidade com os critérios de segurança recomendados para um avião nessa categoria de projeto.

O NTSB emitiu seis recomendações à FAA, três à Agência Europeia para a Segurança da Aviação e uma à Saab. Elas podem ser conferidas diretamente no manifesto do NTSB clicando aqui para acessar o arquivo em pdf.

Informações do NTSB para Aeroin