Foto: FAB


Uma infraestrutura de alto padrão com tecnologia de ponta foi montada no Exercício Conjunto Tínia 2021, que aconteceu de 8 a 26 de novembro, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Para que o maior treinamento do ano realizado pela Força Aérea Brasileira (FAB) atingisse o seu objetivo final, foi crucial a integração das equipes no solo, pilotos e controladores, além do apoio dos profissionais da saúde da FAB.

Na coordenação para que as aeronaves decolassem nos horários corretos, com segurança e eficiência, todo o conhecimento dos militares foi colocado à prova durante o adestramento. Conheça, a seguir, um pouco do trabalho de apoio durante o Exercício.

Publicidade

Hospital de Campanha (HCAMP)

Uma equipe formada por médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem se revezou no Hospital de Campanha (HCAMP) montado na Base Aérea de Santa Maria (BASM).

Segundo o Chefe da Unidade Celular de Saúde (UCS), Capitão Médico Fábio de Queiroz Teixeira, esta é a primeira vez que uma UCS foi ativada para participar do EXCON Tínia. “Para nós da Saúde Operacional, é uma oportunidade única treinar o atendimento dos militares envolvidos na missão em campanha. 

Com isso, conseguimos dar o apoio à atividade operacional da Força e também fazer o treinamento dos militares envolvidos na missão”, salientou.


Já a Especialista em Enfermagem Sargento Michelle Lima Soares contou que a interação dos profissionais do HCAMP na missão aproximou a saúde operacional da aviação. “Isso é uma condição sine qua non na Força Aérea. Nós somos a saúde que estamos cobrindo, prontos para quando os participantes precisarem. 

E estar em campanha, estar em curso junto com todos os militares do Exercício, fez toda a diferença para a nossa equipe”, disse.

Assista vídeo: 

1º GCC

Nos bastidores do Teatro de Operações, também esteve o Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1º GCC), responsável pela montagem de uma infraestrutura técnica e operacional capaz de otimizar o controle aéreo e prover diversos serviços, como o acesso à internet, intraer e telefonia.


Com equipamentos montados em Santa Maria, os Esquadrões do 1º GCC apoiaram o Exercício Conjunto Tínia para garantir a integração entre as equipes e o controle das operações aéreas militares.

“O Exercício foi muito importante, pois a parte operacional incluiu nossos controladores de voo treinados para cumprirem o treinamento de missões de combate BVR (do inglês, Beyond Visual Range, ou seja, além do alcance visual)”, explicou o Chefe Controlador do GCC, Capitão Fábio Nunes de Oliveira.

Além dessa estrutura, o 1º GCC dispõe do Radar de Defesa Aérea TPS-B34, que tem como principal diferencial ser tridimensional, transportável e com uma enorme capacidade de guerra eletrônica. “O nosso TPS-B34 pode ser alocado em qualquer situação. 

Onde houver necessidade em um treinamento ou em um emprego real, o Brasil pode contar com o GCC”, ressaltou o Capitão F. Nunes.


DTCEA-SM

Na ponta da linha da sincronização dos elos do Exercício Tínia, estiveram os profissionais do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Santa Maria (DTCEA-SM), Unidade subordinada ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) por meio do Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II).

De acordo com o Comandante do DTCEA-SM, Major Hugo Slavez Filho, no EXCON Tínia foi crucial a coordenação para que as aeronaves decolassem no horário correto, e essa sincronização envolveu todos os elos de defesa aérea.

Além dos militares na Torre de Controle de Aeródromo de Santa Maria, ainda havia um controlador aeroembarcado dentro da aeronave E-99, ambos atuando de forma integrada com o Quarto Esquadrão Mangrulho – Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (4º/1º GCC).

“Nesse contexto, a missão do DTCEA-SM foi de prover todo o suporte necessário relacionado ao serviço de tráfego aéreo para que as tripulações pudessem focar inteiramente na atividade operacional, sempre prezando pela eficiência e segurança”, finalizou o Major.

Informações da Força Aérea Brasileira