O cantor Marcelo Falcão, ex-vocalista da banda O Rappa, teve prisão domiciliar decretada pela justiça do Rio de Janeiro por não pagar pensão alimentícia para sua filha Ágatha Silveira, reconhecida por exame de DNA em 2016. Segundo a decisão, Falcão cumprirá pena por 60 dias usando tornozeleira eletrônica, podendo sair apenas para ir ao médico. 

A decisão do juiz André Cortes Lopes, da 18ª Vara de Família, levou em conta a pandemia, "a fim de conter propagação da Covid-19 entre a população carcerária".


Publicidade

Na sua defesa, Falcão alegou insuficiência financeira para pagamento da dívida. Ele argumenta que a sua carreira teve um declínio após o fim da banda, além de ter contraído dívidas para tentar alavancar sua carreira solo. 

A defesa de Falcão também usou a pandemia e as restrições impostas a aglomerações e shows para justificar sua "completa falência".

No entanto, na decisão, o juiz levou em conta que Falcão "é músico de renome e vem se apresentando em lives e eventos, com turnês agendadas ainda para este ano no exterior". 

Segundo o documento, a dívida teria chegado ao alto valor contestado pelo músico devido ao não pagamento constante. "No mais, sequer ofertou proposta de parcelamento de sua dívida, esquivando-se inclusive de pagar as pensões vencidas."

Publicidade

Na noite desta sexta-feira, 12, após repercussão do caso, o cantor foi às redes sociais se declarar. Em uma séries de vídeos no Instagram, ele afirma que tem muito "mimimi e fofoquinha" com seu nome. "Nunca deixei de cumprir nada perante a justiça", começa. "Agora, descobrir com 20 anos de idade, criada por outra pessoa, com nome de outra pessoa, não tive a oportunidade de estar junto e tudo mais... 

Aí aparece porque é o tal do vocalista da banda lá, com dois pés no peito querendo destruir minha carreira", continua.

"Sou um cara do bem, sou um cara honesto, ninguém vai conseguir fazer isso. Eu sou cumpridor da justiça e vou provar para vocês ali na frente quem era realmente que estava errado porque eu nunca vou estar errado, porque eu não aceito estar errado", completou, agradecendo os fãs por estarem com ele dando apoio neste momento.

O reconhecimento da paternidade de Ágatha aconteceu depois de um teste de DNA em 2016. "Fui avisado que era pai em um laudo técnico e não em uma maternidade, como costuma ser", escreveu em uma rede social à época, quando a menina tinha 17 anos. Atualmente, Agatha é maior de idade.


Com informações do Estadão Conteúdo