Foto: Unplash


Neste dia 11 de janeiro, comemoramos o Dia do Controle da Poluição por Agrotóxicos. Nada melhor do que aproveitar a data para falar dos alimentos orgânicos e por que você deve consumi-los.

O que é alimento orgânico?

Alimento orgânico, por definição, é: “aquele obtido dentro de um sistema orgânico de produção agropecuária — ou extrativista sustentável — que beneficie o ecossistema local, proteja os recursos naturais, respeite as características socioeconômicas e culturais da comunidade local, preserve os direitos dos trabalhadores envolvidos e não utilize organismos geneticamente modificados nem químicos sintéticos”. Está na Lei no 10.831, de dezembro de 2003, que regula a agricultura orgânica no Brasil.

O termo orgânico abriga várias correntes, como agricultura ecológica, biodinâmica, natural, regenerativa, biológica, agroecológica, permacultura, entre outros. Todas sujeitas à mesma lei de orgânicos e todas trabalhando com conceitos ecológicos.

Publicidade

Quais os benefícios dos alimentos orgânicos?

Então, temos benefícios para o planeta — principalmente na economia de recursos, respeitando o ciclo natural das plantas, a conservação dos solos e da água e também na biodiversidade de insetos e animais silvestres!

Também inclui respeito ao trabalhador, gerando recursos sustentáveis, preservando a economia local.

para a nossa saúde, são muitos os benefícios!

Os alimentos são mais ricos em nutrientes e minerais. Os famosos antioxidantes, como o resveratrol, licopenos, entre outros, são mais concentrados, pois são o que protegem os alimentos na natureza — contra o vento, mudanças de temperatura, insetos, etc.


Por outro lado, se o alimento nasce numa estufa ou tem todo o seu processo controlado, ele não precisa ou produz em pouca quantidade esse recurso dos antioxidantes.


Malefícios dos agrotóxicos

Sabemos também, segundo os dados da Organização Mundial da Saúde, compilados no Dossiê da Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva), que os agrotóxicos podem levar à intoxicação, sendo as principais: arritmias cardíacas, lesões renais, câncer, alergias respiratórias, doença de Parkinson, fibrose pulmonar, entre outras.


Infelizmente, o Brasil é o campeão mundial do uso de agrotóxicos!


Entre alguns sintomas que podem surgir em virtude do manuseio de agrotóxicos, podemos destacar dores de cabeça, desmaios, convulsões, náuseas, falta de ar e vômitos.


Por serem normalmente sintomas pouco específicos, é comum que não sejam associados a possíveis intoxicações. Entretanto, ao senti-los, é extremamente importante procurar um médico e informá-lo a respeito dos produtos que foram recentemente manipulados.


É possível remover os agrotóxicos?

Além dos problemas graves gerados aos trabalhadores rurais, agrotóxicos podem ser encontrados nos alimentos, prejudicando assim outras pessoas.


Apesar de todos os cuidados do consumidor, que lava o alimento muitas vezes até com água sanitária, os agrotóxicos não são totalmente removidos dessa maneira.


Algumas vezes, essas substâncias penetram nos tecidos vegetais, fazendo com que a lavagem remova apenas partes delas. Já a água sanitária é bastante útil para matar alguns micro-organismos, mas não é eficaz na eliminação de agrotóxicos.


A única maneira de se precaver dos males dos agrotóxicos é investir em alimentos orgânicos!


Como saber se o alimento é orgânico?

O produtor deve ter um Certificado de Cadastro que comprova seu vínculo com o Ministério da Agricultura e produtos embalados devem ter o selo federal do Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade Orgânica (SISORG) — esse aqui acima!

Fazenda Tamanduá, Pioneira na produção de alimentos orgânicos

A Fazenda Tamanduá está situada no Município de Santa Teresinha, próximo a cidade de Patos, Estado da Paraíba no Nordeste do Brasil. No sertão das Espinharas, a fazenda encontra-se a 7° Sul da linha do Equador, a 400 km do litoral e do ponto mais oriental do continente sul americano, a uma altitude média de 240 metros. 

O seu clima é característico das regiões tropicais semi-áridas, com chuvas anuais médias de 800 mm, concentradas num curto período de 2 a 4 meses, seguidas por um longo período de estiagem, que pode durar de 8 a 12 meses. Ciclos de secas assolam periodicamente esta região provocando miséria, êxodo rural e violência. As mudanças climáticas globais provocaram uma diminuição sensível das precipitações nestes últimos anos.

Pioneira no setor orgânico e biodinâmico, mas com recursos hídricos limitados, a Fazenda Tamanduá depende das estações e principalmente das chuvas irregulares que castigam periodicamente o Nordeste. 

Organismo Agrícola

Na visão de Rudolf Steiner, fundador dos princípios da Agricultura Biodinâmica em 1924, uma Fazenda tem que ser vista como um todo integrado, um organismo vivo em sua essência, um organismo agrícola.


Como um ser humano, este organismo possui diversos órgãos que interferem entre si e que não podem viver sem esta interação. A presença do animal no vegetal é impreterível, tudo sendo manejado de forma dinâmica para trazer e apoiar a saúde e o bem-estar de todos.


O papel do agropecuarista biodinâmico é de ajudar a desenvolver uma compreensão íntima de cada elemento da fazenda bem como o seu potencial criativo. Ele se esforça para ser autossustentável e autossuficiente, aproveitando os fluxos de energia a partir do sol, da chuva e do vento. Ele utiliza os preparados biodinâmicos, que de maneira homeopática ajudam a vida do organismo agrícola.


Na prática da Fazenda Tamanduá isso implica em primeiro lugar a diversificação das atividades, fugindo da monocultura.


Um dos ciclos mais importantes é, por exemplo, o do composto: as abelhas polinizam as mangueiras, o sorgo e a moringa bem como as inúmeras gramíneas e leguminosas formando as pastagens. A poda das mangueiras é triturada e entra como fonte de carbono no composto misturado com o esterco das vacas e dos caprinos. Preparados biodinâmicos são utilizados, e as pilhas são reviradas e molhadas para ter uma decomposição perfeita.


Após 60 dias o composto está pronto. Ele contém todos os elementos necessários à fertilização dos solos (nitrogênio, fósforo, potássio, magnésio e carbono) e é diretamente utilizado para a adubação das próprias mangueiras ou outras culturas. Mas o grande diferencial em relação a adubos químicos é que traz matéria orgânica para o solo melhorando a textura dos solos a cada aplicação.

Conheça mais sobre agricultura orgânica/biodinâmica acessando: Fazenda Tamanduá (fazendatamandua.com.br) 


Matéria de Amanda Regina com Fazenda Tamanduá e blogdonegreiros1.com